quinta-feira, 20 de abril de 2017

Retrocesso

O mundo anda doido por muitos motivos. Há muita gente doida em todos os momentos da história mas, perante avanços civilizacionais e científicos evidentes, acesso a muita e boa informação, seria de esperar que houvesse menos ignorantes idiotas e que o são de uma forma militante. 

Há uns 2 anos quando comecei a ouvir falar dos movimentos anti-vacinas nos EUA eu achei profundamente estúpido mas, como vem da terra em que tudo é possível e o mais bizarro que pode existir existe mesmo, encolhi os ombros, abanei a cabeça e pensei "ainda bem que a malta aqui na Europa tem dois dedos de testa...".

WRONG!

Estes dias o tema quente é a morte de uma rapariga de 17 anos que não tinha sido vacinada. Já li bem as notícias e a história é mais complexa do que se pensa e os pais tiveram as suas razões, eles até quiseram vacinar a filha mas uma severa reacção alérgica mudou-lhes os planos. Esta não é a típica história dos anti-vacinas mas despoletou de novo a discussão e fez sair da toca todo/a ignorante que baseia a sua 'pesquisa' em sites mega manhosos e na wikipedia. Estes ignorantes, idiotas, quase criminosos seriam mais uns tolinhos que para aí andam não fosse serem verdadeiramente perigosos...para eles e para os outros.

Sou radical nalgumas coisas e isto das vacinas é uma delas: pais que não querem vacinar os filhos deveriam ser impedidos de matricular os filhos em creches, escolas, impedidos de frequentar recintos com outras crianças ou, no limite, perder a guarda das crianças. Querem armar-se em hipsters da tanga que seguem movimentos ultra manhosos com argumentos desenterrados em sites da treta e meter os filhos em perigo? Be my guest...mas amanhem-se sozinhos e longe dos filhos dos outros. 

Isto tudo é de uma irresponsabilidade atroz!!! Revolta-me pelo culto da ignorância que esta gente professa e baseados em quê? Pseudo-ciência, em artigos de dois médicos em que um lhe foi retirada a licença para exercer e o outro se suicidou.

Tenho crianças pequeninas na família e quando nasceram houve a conversa que havia umas vacinas opcionais, nunca na vida sequer passou pela ideia não vacinar (acho que ia para tribunal), e que são bastante caras. A minha reacção foi dizer simplesmente "Fala com a médica e dá as vacinas! Eu pago o que for necessário, não te preocupes com isso, a saúde delas está primeiro do que qualquer coisa".

Assusta-me este retrocesso a que se vem assistindo, é extremamente perigoso este culto de ignorância. O mundo pode ser um lugar muito fodido, muito perigoso e estas coisas fazem-me perder um pouco de fé na humanidade.

12 comentários:

  1. eu estou completamente e a 100% de acordo contigo...
    mas sabes o que é o pior... e que pelo menos na escola é proibido matricular uma criança que nao seja vacinada...
    é estritamente impossivel...
    e fui isso que eu também nao percebi na noticia.. como pode ela fazer estudos sem ser vacinada
    o mundo esta perdido!!

    bjinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não tinha a certeza se era proibido ou não mas folgo em saber que é, se calhar os pais da miúda assinaram algum termo de responsabilidade mas mesmo assim é inseguro para os outros também.

      Fico chocado com o ridículo e estupidez que vai nalgum povo...triste.

      Beijos

      Eliminar
  2. Eu chamo-lhe a democratização do acesso à informação. A internet tem destas coisas, umas boas e outras francamente más, lembro-me de estar grávida do meu único filho vivo e o meu obstetra me avisar para evitar ler artigos "científicos" na internet, sob pena de, enquanto completa leiga nas matérias, não saber de todo interpretar o que muitas vezes é treta disfarçada de ciência. É o que se passa com a história das vacinas, há muita gente a escrever e a publicar na net o que lhe dá na telha, mas há muito mais gente a ler e a comprar como se a treta fosse o que de mais cientificamente comprovado existe. Nesta questão mais recente, o que mais lamento para além da morte da jovem, foi assistir à quantidade de impropérios debitados pelos que não fazem a mais pálida ideia do que se passou e acreditam apenas no que mais lhes convém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há tempos via uns vídeos de um comediante que a brincar dizia que a internet veio dar uma voz a todos e ele já não sabia se isso era realmente uma coisa boa...lendo certas coisas começo a concordar.
      Entendo tão bem o que o teu médico quis dizer, o homem é sensato e de certeza que já tinha lidado com gente alarmada porque leu uma porcaria qualquer e achou que era o fim do mundo porque se baseou nesses sites de pseudo-ciência e tomam aquilo como verdades absolutas. Neste caso recente a minha primeira reacção foi negativa e de revolta por uma vida que se perdeu mas informei-me, não desatei a insultar aqueles pais porque nem quero imaginar a dor...

      Eliminar
  3. Se pesquisassem na Uiquipédia até ficavam bem informados, o problema é que tem muito texto e dá trabalho a ler.
    Eu quanto mais vacinas houver mais tomo. :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas sabes que quando o artigo não diz aquilo que querem ler é logo falso mas se está num site tipo saudinhadaboa.com.br a dizer aquelas tretas, tudo xuxu béléza!

      Eu sei que tu és um moço que 'faz cuidado' com a saúde :P

      Eliminar
    2. Faço sim! Ainda agora fui fazer análises e descobri que nunca tive 'patite A. Queria ser vacinado mas as vacinas foram todas requisitadas. X_x

      Eliminar
    3. Também tenho de ver isso da 'patite A em breve...

      Eliminar
  4. Obrigada por trazeres aqui o assunto. De facto, não sabia.
    Notícia aqui: http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2017-04-19-Mononucleose-complicou-estado-de-saude-da-jovem-que-morreu-com-sarampo
    Beijo, PM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem andado nas bocas do mundo estes dois últimos dias, é triste e preocupante.

      Beijo Isabel!

      Eliminar
  5. Eu sou sincera, nem sabia que havia movimentos anti-vacinas. Nunca tal tinha ouvido. As pessoas tendem a ter demagogias construídas em telhados de vidro. Não consigo conceber um pai/mãe que tem à sua disposição uma maneira (a maior parte das vezes gratuita) fácil de proteger os seus filhos e escolhem não o fazer porque acham que é melhor só porque sim! -.- No caso da rapariga, penso que foi uma conjunção de factores infelizes... sendo que o sarampo foi o culminar. O pior disto é que as crianças vão pagar pelas más escolhas dos pais... as deles e as dos outros. Enfim, tristezas da humanidade..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já conhecia há uns tempos e sempre achei um perfeito absurdo. Eu também não percebo quem é que acha que é bom não proteger os filhos de certas doenças potencialmente mortais porque leram uma opinião infundada a dizer que se calhar é mau...ultrapassa-me...

      Sim, quem se lixa são os miúdos...

      Eliminar