segunda-feira, 4 de abril de 2016

Toque

Sou um gajo latino e a malta latina gosta de tocar uns nos outros, agarrar, abraçar, dar beijos e por aí fora. Sempre gostei do toque, de "ver com as mãos" especialmente quando se trata de mulheres :P

Gosto de tocar, de agarrar, de sentir e descobrir com estas ricas mãozinhas que, não sendo um portento da beleza, já foram bem elogiadas pelos seus poderes terapêuticos! 

Há uma situação em que eu sempre detestei que me tocassem: quando estou num bar/discoteca com imensa gente e há pessoas que querem passar para ir a qualquer parte daquele sítio e à medida que vão passando pelas pessoas metem a mão nas costas das pessoas por quem passam. Oh pah, chamem-me de esquisitinho, estranho, whatever, não gosto pah!!! Eu não os conheço de lado nenhum, as mãos estão quentes e/ou suadas...mal sinto ou vejo que me vão tocar nas costas retraio-me logo, é pancada minha mas julgo que não sou o único.

A vida mais ou menos solitária que vou tendo por vezes tem efeitos estranhos que só se revelam em situações particulares e que eu só me apercebo depois. O viver sozinho por aí há uns anos, o estar só, o facto de não haver muito contacto pessoal nas culturas onde vou vivendo e o passar muitos meses sem qualquer tipo de contacto humano acho que me tornou (mais ainda) estranho. 

Há uns tempos, depois de um jantar e enquanto bebíamos algo, uma antiga colega de trabalho agarrou-me no braço e como que me abraçou de lado porque eu disse uma parvoíce qualquer que fez o grupo rir. Nada de especial no contexto de pessoas que se dão bem e tem uma relação de confiança mas eu dei por mim a pensar: "Porque é que ela me está a tocar? Hermmm isto é estranho..." 

Horas mais tarde, já em casa, dei por mim a pensar naquilo e na expressão que tinha feito e que em tudo é semelhante à reacção de um amigo alemão quando uma miúda latina se chegou a ele e o cumprimentou efusivamente, tocando, dando dois beijos e o homem ficando 'gelado' porque os alemães mantêm uma certa distância e apertam a mão para cumprimentar (não são todos mas a cultura é mais 'fria' neste sentido).

Uma vez disseram-me que eu era muito alemão porque cumpria horários, chegava a horas! Será que estou a ficar mais alemão ou é outra coisa pior?

cat dog dont touch moon moon bitchclap

18 comentários:

  1. PM, o que eu penso é que felizmente somos muito mais que rótulos.
    Há pessoas que se tocam e abraçam com as maiores das facilidades e sem que tenham intimidade e outras não.
    Há factores culturais e outros inerentes à personalidade. Claro que quando não nos sentimos confortáveis com a reacção ao toque, por defeito ou por excesso, pode-se fazer um esforço para alterar um pouco.
    Por outro lado, quando se vive muito tempo só, com fracos e esporádicos contactos, é natural que isso aconteça.
    Também só toco os outros e me deixo tocar quando existe uma relação próxima no plano intimo.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, somos mais do que rótulos mas estas características e particularidades são, também, o que define e distingue as diferentes culturas. Esta questão do toque não é a regra dos povos do centro e norte da Europa mas sabes que é uma característica deles.
      O facto de nos últimos anos ter vivido fora de Portugal tornou-me muito mais atento ao conceito de espaço pessoal e tentar sempre respeitar esse espaço porque quero evitar mal-entendidos culturais, se é que me consigo explicar bem :)

      Beijos

      Eliminar
    2. Sim, explicaste com muita clareza.
      Parece-me, também, que o teu entendimento é muito equilibrado. Costuma-se dizer que quem chega - o teu caso - é que deve fazer o maior esforço de adaptação, também numa óptica dos valores culturais. Depois, julgo que com o tempo, consegue-se ir compatibilizando, com ajustes, essas marcas culturais com a nossa personalidade e com o que nos faz sentir bem.

      Um bom dia, PM!
      Mais um beijo

      Eliminar
  2. Pelo amor da santa... tu vem já embora desse país... alemão??? a sério??? OMG
    ehehehehheehh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há coisas piores, mulher! lol Deixa ver se no futuro fico loiro, de olhos azuis e rico como eles lolol

      Eliminar
  3. Eu também sou bastante cumpridora de horários e das minhas obrigações, não vejo que seja só dos "alemões" :)
    Realmente essa de tocar nas costa em filas ou porque querem passar ... eu também não gosto muito, aliás detesto!
    Oh ...tive uma gatinha parecida com a do post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas sabes que a pontualidade não é a primeira qualidade apontada aos Portugueses, normalmente chegamos sempre atrasados a tudo :P

      Se uma moça jeitosa vier com boas intenções pode por-me as mãos em cima à vontade que eu deixo de bom grado lol

      A gata também era assim arisca? O cão só queria mimos :)

      Eliminar
    2. Por norma, todas as gatinhas são ariscas :))

      Eliminar
  4. "Há uns tempos, depois de um jantar e enquanto bebíamos algo, uma antiga colega de trabalho agarrou-me no braço e como que me abraçou de lado porque eu disse uma parvoíce qualquer que fez o grupo rir."

    É, aconteceu-me justamente isso num jantar há tempos e senti-me estranhamente sem jeito. "Que é que eu faço agora? Abraço-a também? Deixo-me ficar? Devo estar com uma cara aparvalhada. Se calhar devia tentar agir naturalmente. Socorro."

    Foi estranho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu também tens uns laivos de não-tuga :P

      Eliminar
  5. Acho que existe um ditado que diz que de perto ninguém é normal.
    Cada pessoa seu mundo!


    Joana Pais

    ResponderEliminar
  6. Hum... a cena do toque nas disco... é pah..como evitar... antes toque no braço que no rabo.. acredita ;)
    De resto, já fui mais "dada" a manifestações de carinho com "outros" que não a minha cria..... hoje em dia sou muito mais fria..sem duvida.
    talvez seja uma defesa, não sei.
    Quanto à pontualidade!! OH YESS detesto gente atrasada....em todos os sentidos...loolll
    Auf wiedersehen ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso dos toques no rabo por estranho é realmente um bocado mais aborrecido :P

      Nunca fui habituado, acho que nem tenho essa habilidade, a manifestações públicas de carinho mas nada tenho contra. Sempre fui assim, fico mesmo sem jeito.

      Au revoir!

      Eliminar
  7. Eu adoro tocar!!! Sobretudo as bochechas! ehehehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se for com jeitinho eu não me importo muito:)

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Anti-social, avesso ao toque, por aí fora...

      Eliminar