segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Ovos moles

Ando cansado, não é o corpo, é a cabeça...Sinto-me cansado. Cansado do trabalho, do país, de mim próprio, da minha vida. Só me apetece dormir para que o tempo passe.

Quando tinha por perto pessoas que me eram próximas se calhar massacrei-as com as mesmas conversas, queixumes, pancadas. Se calhar por isso algumas pessoas se afastaram, outras disseram-me na cara que já chateava eu estar com a mesma conversa e que eu, apreciando a sinceridade, respeitei e calei-me. Fui-me calando, não falando. Depois é curioso ouvir/ler "Então? Não dizes nada pah..." Pois é...

Aqui neste meu canto de egocentrismo muitas vezes bato na mesma tecla de que me sinto só, sozinho, faltam-me gente, falta-me contacto humano, faz-me falta viver um amor, faz-me falta sentir uma paixão não unidireccional, faz-me falta sexo, faz-me falta sol, faz-me falta mar, faz-me falta acreditar em ilusões, faz-me falta sentir vivo. Faz-me falta isto tudo e mais alguma coisa, tenho fome disso tudo. Nunca me faltou apetite mas sinto que começa a diminuir.

É bastante fodido não me poder meter no carro e ir fumar um cigarro com aquela pessoa que é como um irmão. 

Vivo e sinto-me só. Já me incomodou muito. Estes dias têm sido estranhos porque não me apetece estar com ninguém. Sinto que fui perdendo as poucas capacidades de socialização que tinha. Sempre fui introvertido e nunca foi fácil para mim conhecer pessoas e fazer amigos muito menos. 

Nunca me senti no direito de exigir nada às pessoas. Não me sinto nesse direito mas há pessoas que já exigiram muito de mim. Exigiram o que eu podia dar, o que eu não sabia se podia dar, o que eu não sabia dar...algumas vezes culparam-me por eu não dar, culpa de não saber dar, culpa do que eu não sei como dar. Se me dizem que paciência não é o meu forte eu também não a fui recebendo em doses generosas.

A fome e o apetite parece que tem dias que entram em curva descendente da mesma forma que o desamor começa a aparecer quando estamos apaixonados. A indiferença apaga o amor e o ódio.

Não sei que rumo dar às ideias. Quero desabafar mas não quero falar, não sei bem o que dizer, os pensamentos estão difusos, estou cansado.

Nem tudo é mau. A fome por comida nunca passa e o meu brother from another mother disse que me mandava Ovos Moles, o que é muito bom! 

Ouviste/Leste? 


Foda-se...

(se há erros ortográficos no texto...not in the mood today, not in the mood...)

33 comentários:

  1. Olha, o teu post teria muitas pontas para agarrar. Ficam algumas ideias que me ocorreram:
    1 - Quando o cansaço é extremo, não se consegue dormir. Portanto, há boas notícias para ti. Não estás num patamar de perigo.
    2 - Referes algumas faltas que estão ao teu alcance colmatar. Não podes ir ver o mar? E se, mesmo que ao princípio um pouco contrariado, saísses da tua zona de conforto e fosses a um concerto, por exemplo, onde essa ligação com o mundo também se faz? E não te esqueças que há uma série de faltas que cabem nesse bolo da solidão que fazem parte dos sinais dos tempos... Claro que isto não resolve nada, mas ajuda a balizar. Anda meio mundo à procura de alguns itens que referiste.
    3 - Não vale a pena chorar sobre o leite derramado e muito menos alimentar mágoas. Refiro-me às pessoas que dizes terem exigido muito de ti. Se achas que não te merecem, que se lixe o assunto de bater na mesma tecla.
    4 - E se abrandasses por dentro para tentar agarrar o rumo das ideias?
    Fica bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dormir vou conseguindo, quando o cansaço é extremo a certo ponto adormeço mas não acordo descansado.
      O mar está a cerca de 500km, não é fácil lá ir :/

      Eu vivo fora da minha zona de conforto, já há uns anos, e até vou a esse tipo de eventos, embora agora muito menos pela falta de vontade de ir sozinho e pelo preço dos ditos.
      Não vale a pena chorar mas às vezes dá vontade, não resolve nada eu sei mas olha...liberta-se alguma frustração.

      Abrandar por dentro? Como assim?

      Obrigado pelo comentário ;)

      Eliminar
    2. Ah, não sabia que estavas a tão grande distância do mar. Desculpa, então.

      Sabes, com o meu comentário não pretendi menosprezar o que sentes. Espero que tenhas entendido isso.
      Pelo contrário, a intenção foi de certa forma abanar, chicotear, para que a solidão não te engula. Sei o que isso é.
      Sim, cansa funcionar por nós próprios, sobretudo quando tal se estende no tempo e não condiz com o que desejamos.

      "Chorar sobre o leite derramado" é uma expressão que tem que ver com a inutilidade de nos fixarmos em coisas passadas. Agora, quando se tem vontade de chorar, parece-me que tal não deve ser reprimido.

      Com "abrandar por dentro" quis referir-me a procurares acalmar-te no meio desse turbilhão de "coisas" que te apoquentam.

      Ouvi / li.
      Fica com um abraço.

      Eliminar
    3. Eu não vivo em Portugal e o mar mais perto é o Mar do Norte.

      Não levei o teu comentário como estando a menosprezar o que quer que seja ;) A solidão é já uma companhia, estou mais ou menos habituado.

      Abrandar mais? Eu acho que é por ter tempo a mais para pensar que anda uma confusão nesta cabeça, quando ando tão ocupado que nem para comer tenho tempo não penso noutras coisas.

      Abraço!

      P.S. - o ouvir/ler era mais para quem me prometeu ovos moles :P

      Eliminar
    4. Ai, o senhor "bate na mesma tecla"?! Quem diria! :D Eu acho que "todos" o fazemos, porque falamos do que gostamos, nos interessa, mesmo que por caminhos diferentes.
      Quanto às coisas de que sentes falta... Tenta colmatá-las de alguma maneira! A felicidade também está nas pequenas coisas que com a velocidade dos dias não damos conta. E na vida (para o bem e para o mal) tudo é um momento.
      Não sei com que pessoas te dás... Dá valor a quem merece! No entanto (e por mim falo), se gostas, se queres, insiste, insiste, insiste (sei que pode não ser em nada um bom conselho. Bom mesmo, era seres dono de um concelho! :D ).
      Não perdeste essa tua capacidade de socialização... O que nós somos, verdadeiramente, está sempre cá, mesmo que lá no fundinho. E a boa disposição abre portas e conquista (só gente macambúzia é que não vê isso). São fases. Fases em que pomos tudo em causa. Em que dizemos coisas, as quais não somos nós (e nem é para chamar a atenção). Fases de crise interior. Mas, tudo passa. Tudo o tempo leva para longe. E um dia, o sol volta a entrar na nossa janela e vemos a beleza interior que nós temos (nem que não seja apenas para nós mesmos).
      Ovos moles?! Sempre podias pedir um doce melhor... Sei lá... Uns travesseiros de Sintra (ou as suas famosas queijadas) ou umas tortas de Azeitão. Daqui, acho que também não ias mal servido com uns Viriatos ou Pastéis de Vouzela.
      Vê lá, se não ficas diabético e depois, tens que ir... a uma consulta de enfermagem! :P Pior, só ser uma certa enfermeira! :D


      Beijo e arriva!



      Filipa

      Eliminar
    5. Eu posso bater na mesma tecla mas se me pedem para parar...eu paro. Tentar colmatar de alguma forma o que nos faz falta é uma solução temporária, não apaga a falta/necessidade, até pode ajudar mas não é a mesma coisa.
      Não sabes com que pessoas me dou? Neste momento com nenhumas.

      Olha, não, não insisto porque se as pessoas não querem eu não as obrigo. Detesto sentir-me a mais e quando o percebo desapareço da cena. Sou assim.
      O tempo não cura tudo nem leva tudo.

      Não impliques com os Ovos Moles, perdes essa guerra. Era o que faltava vir para o meu blog falar mal dos Ovos Moles! Diabético? Vai agoirar para outra freguesia, credo pah...dasse. Não tenho medo de enfermeiras, só dentistas.

      Beijos

      Eliminar
    6. E humor, não mora por essas bandas, pois não?!
      Era tudo brincadeira!
      De qualquer forma, desculpa.

      Eliminar
    7. Também nao é preciso levar as coisas assim a peito, até te faz mal...fogo...

      Eliminar
    8. Ai, não é preciso levar assim as coisas a peito... Vê lá, como me respondeste! Enfim!
      Veja lá, se se anima, que eu não tenho culpa do seu estado!

      Beijo

      Eliminar
    9. Caramba, não te faltei ao respeito, foi de forma irónica mas se queres ficar ofendida não posso fazer nada.

      Ninguém te culpou de nada, ok bebé?

      Eliminar
    10. "Era o que faltava vir para o meu blog falar mal dos Ovos Moles! Diabético? Vai agoirar para outra freguesia, credo pah...dasse." Se isto é ironia... Como alguém diria "é uma entrada a pés juntos"! :D Depois, de um comentário meu som graça... Achava eu, claro! Mas, pronto!
      Eu dou-te o bebé (salvo seja!)! :D

      Eliminar
    11. Pronto, tudo bem xuxu.

      Não me dês bebé nenhum, agradeço mas nesta altura não me dá jeito :P

      Eliminar
    12. Eish, "bebé", "xuxu"... Sinto-me preterida...

      Eliminar
    13. Oh princesa, eu sirvo-te de GPS para te encontrares de novo :P

      Eliminar
    14. Preterida! Não é perdida!!! :P

      Eu sei que me adoras!

      Eliminar
    15. é do cansaço...

      Preterida? Nahhhhhh...o meu coração é grande o suficiente para te albergar também. O coração e não só...

      (Vossemecê tem-se em muito boa conta :P)

      Eliminar
    16. E não devo? Humpf

      Eliminar
    17. ;P Ai as mulheres...dão cabo de mim :*

      Eliminar
  2. Eu entendo-te muito bem. Acho que é muito complicado quando nos encontramos numa situação em que só nós podemos dar o passo para sair do desconforto em que nos encontramos.
    Beijinho e desejo-te força !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por vezes não depende só de nós mas outras vezes nós somos os nossos maiores inimigos, há que dar tempo ao tempo e ver se o cansaço passa.

      Obrigado pelo comentário, beijos!

      Eliminar
  3. Fazes bem em exteriorizar, nem que seja só por aqui.
    Não te vou dizer que tudo passa, que vais encontrar o grande amor da tua vida e outras coisas do género. Simplesmente porque não sei nada disso. Agora de uma coisa tenho eu a certeza. Uns docinhos fazem milagres. Momentâneos, é certo, mas tãããããão reconfortantes. ;)

    p.s. mas ovos moles? really? com tanto doce delicioso, estás a pensar em ovos moles? beurk! ;p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se tu soubesses isso tudo é que me dava imenso jeito, isso e os números do Euromilhoes :P
      Há coisas que passam e outras nem por isso, há quem encontre muitos amores e há quem nunca encontrará um sequer. As coisas são mesmo assim.

      Ai...outra pessoa a dizer mal dos Ovos Moles no meu blog? Não senhor, não pode ser. Queres ver que os Ovos Moles não são um doce estupendo!

      Eliminar
  4. Cansaço, solidão são estados que sempre me acompanharam. E tantas são as vezes que um simples gesto bastava - um grande e forte abraço, PM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, por vezes não é preciso muito.

      Abraço Marie ;)

      Eliminar
  5. NAUM ME ESQUECI! Mandar-te-li-os-ei!
    Assim que me lembrar de onde apontei a morada. U_U

    E não apanhei erros ortográficos, toma mimos por isso. :***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperar-los-ei!!!!

      Tá, toma mimos também :***

      Eliminar
    2. Really, Peter?

      Pronto, confesso, o que quero mesmo mesmo é um abraço colectivo. Mas fora de quartos de hotel, sim?

      Beijos, para os dois

      V.

      Eliminar
    3. Aww, abracinhos!

      E ovos moles, não? Ou isso é do departamento do Peter?

      Eliminar
    4. :D

      Sim, Ovos Moles é com ele.

      Eliminar