sábado, 20 de junho de 2015

Let's get back in touch

Ai o que me apetecia depois desta semana desgraçada era...bem o cigarro já lá vai mas o que me apetecia mesmo, mesmo, meeeeeeeeeesmo era mandar assim um cartão a uma certa pessoa.


Há mais cartões giros aqui que também me apetecia mandar a outra gente.

A banda sonora podia ser variada mas acho que esta tinha de fazer parte.




terça-feira, 16 de junho de 2015

You are not that special...

Em raros momentos da minha vida me achei o 'maior da minha aldeia' como diria o outro. Achava que eu era O gajo, ego insuflado mas a dar uma de falso modesto e humilde. Depois passava-me. Momentos de tolice/estupidez que por alguns motivos me davam e depois com algum tombo me passavam logo. 

Já houve momentos em que me achei especial. Outro momentos em que me achava especial e que era especial para alguém. A vida, o destino, o karma, os orishas, etc. e tal e as mulheres encarregaram-se de trazer de volta à realidade: não, não sou especial. 

Eu sei que não sou especial, que raio, eu não tenho essa ousadia. Erradamente já achei que me estavam a dar essa importância mas das coisas que eu fui aprendendo na vida é a meter-me no meu lugar, por vezes é preciso alguma ajuda, ou uma pancada mais ou menos forte, mas eu chego lá. 

Vivo desassombrado e sem ilusões desta natureza, não sou especial a não ser os meu pais (acho eu :P) quanto mais não seja por ser o filho meio parvo e maluco que não tem poiso certo e sempre trabalhou um sítios meio estranhos a fazer coisas que não sabem bem o que é.

Não sei se alguma das pessoas da minha vida lê este blog, se ainda o lê ou se vai acabar por ler isto mas eu quero afirmar que não é minha intenção ser injusto, ingrato ou ressabiado com o que escrevi, a sério. Eu não tenho o direito de cobrar nada a ninguém e só tenho a agradecer o que me deram e o bem que me fizeram sentir. 

Houve e há pessoas especiais para mim. Nem todas essas pessoas sabem o que significam para mim, uma delas sabe-o bem porque mais do que uma vez eu lho disse. O meu coração e cabeça podem ser altamente partidos e disfuncionais mas são sinceros no pensar e no sentir.

Estes dias vinha para casa e na rádio Portuguesa aqui do Grão-Ducado tocava a música de uma banda que eu sempre gostei. Aplica-se bem ao que quero aqui dizer, há pessoas que são um vício.


Mais uma porque espero não cair no esquecimento...