quarta-feira, 27 de maio de 2015

Eu sei lá...

Estive uns quantos minutos a olhar para a "folha" branca do blogger a pensar no que escrever. Há coisas que quero dizer mas que não devo nem posso porque certas coisas só estão seguras dentro da nossa cabeça.

Toda a gente tem segredos que deve manter na sua cabeça e só confiar a si mesmo. Eu tenho demasiadas ocasiões em que devia estar calado e não estive, que devia calar e escutar e não calei, e outras tantas situações em que devia ter tido tomates para dizer o que devia ou que pura e simplesmente não sabia o que dizer. 

Sou um acto falhado em muita coisa na vida e o medo de falhar de novo por vezes limita-me nalgumas escolhas ou decisões. Se calhar foi esse medo que me trouxe para onde estou hoje mas isso fica no campo dos se's. 

Não sou crente na mudança das pessoas, daquilo que são na sua essência mas...há sempre um mas não é, há pessoas especiais que nos fazem pensar e perceber que se calhar é possível limar alguns aspectos, fazer por mudar algumas coisas, procurar a mudança. Tem dias que o tough love é preciso e tem outros dias em que uma pessoa se sente uma merda...

Há dias coisos, não me ocorre palavra melhor, pronto.

Música subordinada ao tema, música de gente que eu aprecio.




11 comentários:

  1. Ai, pessoas especiais... Eu, eu, eu e eu! Já que não sai nada melhor para certas pessoas...
    Mas sim... Há gente que mesmo que, por vezes, se expresse de uma forma áspera, lhe dê muito na cabeça, no fundo quer é o teu bem. Preocupa-se contigo e gosta de ti. :-* Pessoas que a distância nao mata e que ainda são capazes de fazer quilómetros por si... Mas vá... Nem sei de quem estou a falar...
    E lembre-se... Você tem valor! :) Olha para o teu caminho, o qual tu mesmo fizeste, longe, sozinho, com medo, algumas lágrimas (vá... Nada de te difamar, que não choras), mas de cabeça erguida, sem desistir. E agora, aí estás tu firme, ou pelo menos, com bem menos agonia. :) E a tua essência é, inegavelmente, a boa disposição, a imprevisibilidade com que te sai cada coisa engraçada. :D

    Beijo


    P. S. - Acho que não é preciso eu assinar... :P Mas como tem tantas fãs... Nunca se sabe...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se quiseres eu assino por ti mulher...Obrigado pelo comentário ;)

      Eliminar
    2. Anda mesmo parco em palavras...
      Assinar não é preciso... Já um post dedicado a esta excelsa pessoa...
      Sabe... É que eu posso não ter cabelo preto com franja (não tenho em nada mesmo), mas mesmo assim sou um doce de pessoa!
      E vá... Tente-se sentir um rei!
      Nada de dramas! A vida e nós mesmos somos feitos de pedaços, de estados emocionais.


      Beijo e ânimo!

      Eliminar
  2. Há tantos dias coiso na minha vida...como entendo este teu texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, vão havendo uns quantos por aqui também :/

      Eliminar
  3. Lá diz o outro ... levar o coiso e tal a rir e a cantar para quando chega o "eu sei lá" :D
    Ok ... gostos das músicas !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há é grande vontade de rir e cantar mas olha...vai tendo que ser, é mais na onda do rir para não chorar que há coisas do camandro. ;)

      Eliminar
  4. É verdade. Há pensamentos, desejos, necessidades que não são fáceis de partilhar. Simplesmente porque iria ser motivo para que os outros, aqueles que ouviram o nosso desabafo, nos cataloguem, nos coloquem numa determinada prateleira com a devida etiqueta, a etiqueta do julgamento: "parvo", "insensível", "fraco", "tarado", "inútil" e por aí em diante. É inevitável.
    Quero acreditar, no entanto, que há pessoas que têm a capacidade de ouvir, formar uma opinião sobre o que ouvem (só quem não ouve verdadeiramente é que não forma uma opinião) sem por isso julgarem o outro, sem o restringirem a uma determinada categoria. É encontrares uma dessas pessoas (se é que já não conheces) e desabafares à vontade. :)

    Quanto ao medo de falhar. É tramado, sim. Limita-nos os movimentos e, por vezes, os pensamentos até. Sempre fui, até há muito pouco tempo, uma pessoa que nunca arriscou. Já disse várias vezes e repito, nunca me arrependi de nada do que fiz porque ao longo da vida me autorizei a fazer muito pouco. Farta de me arrepender do que não fiz, senti necessidade de pensar em mim e arriscar. Se me der mal? Logo se vê. :)

    Em relação à questão de se limar arrestas. Acho óptimo. Mas é sempre melhor quando o fazemos por nós e não para agradar aos outros, acho eu.

    Desculpa o testamento. Sou uma fala barato. :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Mam,
      Não há problemas com testamentos, de quando em vez dá-me para o mesmo.

      Há coisas que não são fáceis de partilhar e eu reafirmo que não devem porque mesmo aquelas pessoas que têm capacidade de ouvir por vezes não conseguem evitar fazer julgamentos de valor, todo o fazemos. Por vezes sou um bocado control freak e com certas coisas minhas é assim que prefiro que seja.

      Eu não tenho problemas em fazer as malas e arriscar ir viver para um país que nunca visitei, já o fiz quase uma mão cheia de vezes, mas já para outras coisas...há medos, receios, uma ansiedade... Penso sempre que pouco ou nada tenho a perder em arriscar o que quer que seja mas, pensando de forma sensata, há sempre algo a perder e isso cria barreiras.

      Concordo contigo, a mudar algo que seja por nós e não por causa de outros. Raras são os casos em que isso conduz a algo de bom, acontece, mas é raro.

      :)

      Eliminar
  5. Se tiveres que arriscar arrisca, não às cegas, não sem pesares o risco, mas a vida é isso mesmo, uma boa dose de risco.Sou tua amiga e nada me deixa mais feliz do que saber que és capaz de enfrentar os teus medos e partir à descoberta.

    Vais ter oportunidade de analisar as novas escolhas com calma, sei que o que decidires está decidido.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AC, sempre uma querida :) Neste caso não se trata de algo em concreto em que esteja em causa arriscar a fazer algo ou não, falei no geral, em situações do passado e se calhar algumas que possam surgir no futuro. Em quase tudo há risco, é verdade, alguns estamos dispostos a correr e há outros que é preciso uma boa dose de coragem e um certo empurrão externo para irmos em frente.
      Vamos a ver o que o futuro me reserva ;)

      Beijos

      Eliminar