quarta-feira, 15 de abril de 2015

Ditaduras há várias

Ontem estava a responder a um email e, no meio de outros tantos assuntos e enquanto lia o mail recebido, dei por mim a pensar nos discursos 'tipo' de certas pessoas e que me deixam fora de mim, enfurecem-se de tão cliché, tão batidos e ranhosos que me soam. 

Parece que em certas coisas, certos aspectos da vida de uma pessoa tem que seguir uma cartilha e ter certos elementos senão é pura perda de tempo, não valemos nada, não somos nada, nada tem sentido e demais patacoadas com as quais só o Gustavo Santos pode rivalizar. Há como que uma ditadura dos modos de fazer e viver. 

O tema que me chateou foi o amor. Não por ser exactamente o amor mas como as pessoas usam a palavra e o sentimento como arma de arremesso e bandeira para tudo e mais umas botas.


Eu percebo perfeitamente a cena toda do amor e coisas afins mas quem não o tem também vive e não apenas sobrevive. 

Chateia-me profundamente os fundamentalistas do amor: ai sem amor nada vale a pena, do que vale a pena ter coisas se não há ninguém em casa ao fim do dia, ai a vida não faz sentido sem ter alguém com quem partilhar, por amor tudo se faz, eu sem amor morro, é um/a mal amado/a e é por isso que é assim mal humorado/a, dizes isso porque nunca amaste ninguém, tens de amar alguém para perceber, ai amar e ser amado… 

Pah, minha gentinha…menos por favor. Então quem não consegue ter amor ou quem o/a ame? Vai-se deitar abaixo de uma ponte?! Vai meter a corda ao pescoço?! Dá um tiro nos cornos só porque não foi bafejado/a pelos deuses do amor?! Caramba que obsessão da treta dessa gente. Uma pessoa por vezes já se sente na merda, e uma merda, por causa de estar sozinho e ainda vêm esse trovadores do amor de pacotilha…poupem-me!!!

Fodasse...sinceramente, pah fodasse lá mais o caralho da ladaínha.

Há vida para além do amor. Com amor deve ser giro, ou mais giro, deve ser...não sei, quem sabe um dia destes, daqui a uns anos eu não apresento a minha opinião...até lá, pessoal sosseguem a franga porque o mundo não é cor-de-rosa todos os dias, toooooooooooooooodo o santo dia.

Eu cá acho que mais vale a dita dura que uma ditadura!

21 comentários:

  1. Belo texto..... e belas palavras.
    PM... gosto muito do teu blog.... muito...
    Pena que a admiração não seja recíproca... e você é um sortudo sabia???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado!

      Sortudo? Tem dias :P

      Quem disse que eu não passo pelo do teu blog? Por caso ultimamente não tenho visto mas por manifesta falta de tempo mas fica prometida a visita ;)

      Eliminar
  2. Ditadura pura !
    Olha eu já passei por todas esses obstáculos e digo-te que o estar sozinho não é para todos, é mesmo um exclusivo para poderosos.
    Eu sou bem disposta mas ri-me (no bom sentido) do que escreveste...
    Adooooooorei!
    Bjinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estar sozinho não pode ser o fim do mundo para a pessoa e para os outros também não, parece que uma pessoa tem alguma doença aos olhos de certo pessoal, enfim...

      Beijos ;)

      Eliminar
  3. Concordo. A vida não se resume à procura/alcance de relações amorosas. As pessoas que não têm um relacionamento não estão forçosamente tristes (muito pelo contrário). As pessoas que estão num relacionamento não estão forçosamente num êxtase de felicidade (mesmo que, grande parte, tente convencer-se disso mesmo porque parece ser o caminho mais fácil).

    É óbvio que o ideal, para a maioria das pessoas, é ter alguém com quem partilhar a sua vida, as suas vitórias, os seus medos, as suas rotinas. Mas a vida pode ser muito bem vivida sem existir obrigatoriamente essa componente. Por mais que a sociedade e o politicamente correcto nos leve a acreditar, todos os dias, o contrário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto, fazes uns excelentes pontos porque nem tu é exactamente o que parece.
      A vida de cada um não ter de ser a cópia de outrem, cada um pode viver bem à sua maneira, sozinho ou acompanhado. ;)

      Eliminar
  4. Ai, a ler um mail... Concordo com o que dizes (e a última frase ficou bem) e acho o comentário da Mam'Zelle Moustache muito sensato, que é mesmo assim.
    Também se costuma ouvir "tens que procurar..." e que muito me intriga... Como se o amor estivesse ali mal se abre a porta da rua, se tivesse que ser com qualquer pessoa, entre outras interpretações que se pode tirar desta frase.
    Acho que podem haver vários motivos para as pessoas dizerem isso, viverem a sua vida em função do amor (desde ser o padronizado pela sociedade, à sua personalidade, carência, medo da solidão, o quererem constituir família, etc.). Mas também o que acho, é que muita gente fala em "amor, amor", vive-o e no final de contas, talvez aquilo nem seja amor (ok, que fala aqui alguém que não o sabe definir. No entanto, acho que muitos usam esta palavra e seus similares em vão, que depois, já nenhum significado têm).
    Sim, há pessoas que exaltam o amor para tudo e "mais um par de botas", apenas para se convencerem que são felizes e até "superiores" aos outros, porque conseguiram o que "todos querem". Porque, realmente, muita dessa gente sozinha... "não daria conta do recado", é o que é (sei de quem por estar um fim de semana sem o dito cujo fique com um mau humor, que só dá vontade de uma pessoa fugir para a China! Não se consegue ver sem aquela pessoa, como a própria diz. Até para ir ao cabeleireiro conta com ele).
    Acho que me transcende essa necessidade do amor enquanto casal, essa dependência emocional que a grande maioria das pessoas tem do amor romântico, ao ponto de acharem estranho quem não quer "dividir os tarecos" com ninguém, não quer ter filhos e vejam lá a loucura... é feliz sem esse amor!
    Mas a verdade, são que os desgostos provenientes dele são causas de perturbações psicológicas nas pessoas (e cada vez mais). E sim, parece que anda tudo à volta do amor e que ele (a sua falta ou a sua posse) explicam tudo. Que a vida é mais fácil a dois.
    Parece que está institucionalizado que todos temos que precisar do amor e não conseguimos ser felizes (quanto mais viver!) sem ter alguém com quem partilhar tudo, que é a primeira pessoa que vemos ao acordar e a última antes de deitar. Contudo, vou-me calar, que ainda passo por uma ressabiada do amor.



    Filipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim a ler um mail dona Filipa, não posso? Veja lá! :P

      Isso do tens que procurar também acho imensa piada, havia de me ter lembrado quando estava a escrever. Pois deve ser uma coisa muito fácil de encontrar, ou então não...como dizia uma personagem de uma das minhas séries preferidas: "A minha terra é uma terra de muito amor, diz que se encontra o amor a casa esquina. É mesmo verdade acreditem...na minha terra há uma prostituta a casa esquina..."

      Eliminar
  5. PM, fiz asneiras...eliminei o teu comentário sobre a mizuage sem querer, carreguei no botão errado, que parva. Se quiseres comentar novamente estás à vontade. (escusas de publicar este comentário) Desculpa :S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai ai ai isso merece um tau tau lol Já não me lembro bem do que escrevi mas vou ver se então comento de novo ;)

      P.S. - procura no teu mail se não tens lá a notificação do comentário, normalmente tem também o comentário, se tiver manda-me por mail :P

      Eliminar
  6. Dita dura?És um ordinário*
    Olha tinhas que estragar o post e falar no Gustavo Santos?
    O gajo é só uma desgraça*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, chama-me nomes que eu gosto!

      Falar do Gugu foi só para ilustrar bem o que queria dizer :P

      Eliminar
  7. É claro que o amor é muito bom.Mas há vários tipos de amor...Poder usufruir dessa variedade em doses saudáveis,é maravilhoso!Não sei se me fiz entender?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois deve ser mas como deves ter percebido eu falava no sentido romântico da coisa.

      Eliminar
  8. Quase me leste, a mente hoje! FodaZs mesmo "gentinha" que acha que tens de ter pensamentos positivos, nos quais só assim é que consegues ter o amor da tua vida!! "Gentinha" no qual acha que somos coitadinhos quando somos solteiros, que temos que ter alguém em casa a nossa espera para partilharmos o nosso dia maravilhoso de trabalho, para bebermos um copo de vinho, em sorrir e beijarmos alguém, ninguém gosta de estar sozinho, mas nem todos gostamos de fazer "fretes" só para estarmos acompanhados, só para dizer que temos alguém e estamos com alguém, e infelizmente o que eu mais observo é isso, é um "amor de ocasião", é o que dá jeito, é o que é superficialmente, bem eu não gosto de estar sozinha, mas gosto de ter a liberdade de fazer o que quero e quando quero e como quero.
    As pessoas quando estão sozinhas, anseiam mais por ter alguém pela opinião dos outros e por ver os outros em relações aparentemente tranquilas, acreditam que sim, também merecem e também serão assim...
    Entre um pensamento positivo, eu sou mais na opinião de um pensamento realista, não estou desesperada em ter alguém, quando acontecer acontece....
    Enquanto isso tenho o meu refúgio inteirinho para mim e a liberdade total de ser EU mesma sempre!

    Beijinhos Daqueles...

    Gi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Gi,
      Parece que há uma obrigação instituída e se não cumprirmos somos um desgraçados condenados a arder no fogo do inferno, uma chatice pah!

      Acho piada à malta que fala das suas vidas tal como descreves e que chegam a casa e vão partilhar o maravilhoso dia que tiveram mas...vai-se a ver e as coisas não são assim tão perfeitas e há gente doutorada em dourar a pílula.
      Há gente que pura e simplesmente não sabe estar sozinha e sujeita-se a fretes só porque sim, acho triste, deprimente, decadente e pouco digno. Eu sempre vivi sozinho, nunca tive ninguém à minha espera em casa e estou vivo, não me atirei de nenhuma ponte abaixo. Não sei o que é estar acompanhado, apenas sozinho mas não é por isso que me vou prestar a fretes ou achar que é o fim do mundo, nem toda a gente encontrará uma companhia para a vida e há quem vá ficar só a vida toda. Somos gente na mesma!

      Beijos ;)

      Eliminar