quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Coisas do caminho

No caminho que agora de carro todos os dias faço para o trabalho passo por uma zona que se pode chamar de rural. Casas do campo, casas de antigos e actuais agricultores e não raras vezes há umas vaquinhas bastantes felpudas a pastar. 
No alpendre de uma dessas casas reparei a certa altura que havia uma cadeira de plástico com uma almofada em que todas as manhãs um gato dormia. No segundo que o via o bicho parecia realmente satisfeito. Parece que a cadeira foi ali posta de propósito para ele. Desde que entramos no Inverno a cadeira começou por ficar vazia e agora desapareceu de vez, tal como o gato. Espero que o bicho tenha encontrado um sítio bem quente para dormir.

Nos meus longos meses de viagens de autocarro diárias para o trabalho fui criando rotinas de onde me sentar de forma a estar estrategicamente posicionado para sair rapidamente na minha paragem e apanhar o autocarro que me levaria ao escritório, o tempo era crucial porque às vezes tinha 30 segundos entre os dois.  
Com o tempo ia decorando, por força de as ver todos os dias, a cara das pessoas. Já tinha uma vaga ideia das pessoas que entravam pelo caminho.

Um dia reparei num casal. Os dois estavam ali na casa dos 40, acho eu, mas eu sou mau a avaliar a idade das pessoas. Todos os dias entravam no mesmo sítio, de mão dada e sentavam lado a lado. Os dois tinham um ar sofisticado, pinta de executivos mas com um ar querido, ar de verdadeiramente apaixonados. Durante a viagem de autocarro não deixavam a mão um do outro. Cada um ia a ler algo, jornal ou tablet, ou ia consultando o telemóvel mas a verdade é que não largavam a mão um do outro. Não era aquele dar as mãos por obrigação, parecia-me, era dar as mãos porque "eu amo-te e estou unido a ti, nunca me largues a mão".
Chegado à sua paragem de destino, um deles levantava-se e despediam-se com um beijo. A despedida era feita sem dramas mas dava-me a sensação de que eles sabiam que era só mais um dia de trabalho e no fim do dia voltavam para os braços um do outro, um "à bientôt mon amour"!
Tudo isto parece banal e que milhões de pessoas fazem todos os dias mas aquele casal parecia-me especial, tão genuíno e sereno que por isso me captou a atenção.
Deixei de andar de autocarro e nunca mais os vi. Espero que continuem com todo aquele amor, aquela ternura, cumplicidade, de mãos dadas. 

Gostava de ter algo assim.

Oh God, I need a wishkey or a gin...


terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Aceito doações e que alguém me benza, 'dasse...

Já que estamos a chegar a uma época de partilha e em que se sensibilizam mais as pessoas na ajuda ao próximo eu aceito generosas doações e que alguém me benza e/ou levante a maldição porque...fodasse, mais um?! 

Estava a jantar estes dias, o prato era um tenro bife de frango e couve-flor salteada com courgete e alho francês, e senão eis que parto um dente! Outro dente...

Vou ao dentista, mais uma vez, o tipo começa a trabalhar, termina e diz-me que tenho de lá voltar, mais uma vez, e dá-me um orçamento total do estrago. Ora bem, andar na droga deve ser mais barato do que isto. Raio de sorte!

Eu juro que nunca fiz mal nenhum à fada dos dentes nem a mais ninguém.

Se alguém quiser contribuir para a minha causa e/ou me apresentar uma boa dentista, que pode também ser uma dentista boa, está à vontade!

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Perfumes

Hoje lembrei-me que se calhar não é má ideia eu comprar um perfume para mim este Natal ou nos meus anos. O tempo que medeia um e o outro evento não é assim muito pelo que é uma questão de semanas.

O perfume que tenho ainda não acabou, tenho usado pouco. Se calhar é por isso que o mulherio não me passa cartão...mentira, por acaso as babes que ao longo do tempo chegaram mais o seu nariz a mim sempre me elogiaram o facto de eu estar/ser um gajo cheiroso.

Não repito perfumes. Tenho sempre comprado um diferente e nem é propositado. Os perfumes que compro têm sido sempre sugestões femininas. Família, amigas e mulheres por quem me apaixonei. Sou bastante influenciável na escolha de um perfume.

O perfume, o desejo, a paixão, o tesão têm uma relação estreita. O cheiro é um sentido poderoso que é capaz de evocar memórias do passado e fazer-nos como que "saborear" de novo aqueles momentos. 

O perfume que, ainda, não acabou foi ela que o escolheu. Não foi comigo comprar mas escolheu. Não sabia que me tinha escolhido um perfume até me agarrar, sentir, cheirar e soltar de forma lânguida "...hummmm adoro este perfume...foi escolhido por mim não foi?" Eu sorri, dei-lhe um par de fungadelas no cangote e retorqui "Eu não sei o nome do teu perfume...tão bom...daqui a pouco será a única coisa que vais ter vestido!"

Uma mulher vestida só com um bom perfume é delicioso. Se juntar bela lingerie e uns saltos altos bem sexys...é de cortar a respiração!

O perfume vai acabar, não é uma metáfora para nada, e eu vou precisar de um novo. 

Aceito sugestões e/ou ofertas.


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

sábado, 7 de novembro de 2015

Quartos da saudade

Gosto de hotéis, gosto das camas grandes dos hotéis, gosto de quartos de hotel. 

Passando todos dias por hotéis por vezes a minha mente divaga e a saudade de certos momentos bate com mais força, momentos reavivam na minha memória. O gosto pelo momento vivido mistura-se de uma forma muito própria com o amargo da saudade de momentos que não se vão repetir, daqueles momentos, daquele corpo, daquele beijo, daquele sexo, daquela mulher...

Saudades de todos aqueles momentos e daquela tarde/noite/manhã em particular, lá no alto do último andar com cidade e mar até onde a vista alcança e onde a cumplicidade dos corpos culminou em momentos de puro êxtase, do melhor sexo, deixar o mundo todo fora e serem só dois que se entregaram de corpo e alma. Algo de inexplicável, algo de viciante, algo mais do que apenas carne, tesão e luxúria. Aquele quarto...

Faz-me falta...


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Ovos moles

Ando cansado, não é o corpo, é a cabeça...Sinto-me cansado. Cansado do trabalho, do país, de mim próprio, da minha vida. Só me apetece dormir para que o tempo passe.

Quando tinha por perto pessoas que me eram próximas se calhar massacrei-as com as mesmas conversas, queixumes, pancadas. Se calhar por isso algumas pessoas se afastaram, outras disseram-me na cara que já chateava eu estar com a mesma conversa e que eu, apreciando a sinceridade, respeitei e calei-me. Fui-me calando, não falando. Depois é curioso ouvir/ler "Então? Não dizes nada pah..." Pois é...

Aqui neste meu canto de egocentrismo muitas vezes bato na mesma tecla de que me sinto só, sozinho, faltam-me gente, falta-me contacto humano, faz-me falta viver um amor, faz-me falta sentir uma paixão não unidireccional, faz-me falta sexo, faz-me falta sol, faz-me falta mar, faz-me falta acreditar em ilusões, faz-me falta sentir vivo. Faz-me falta isto tudo e mais alguma coisa, tenho fome disso tudo. Nunca me faltou apetite mas sinto que começa a diminuir.

É bastante fodido não me poder meter no carro e ir fumar um cigarro com aquela pessoa que é como um irmão. 

Vivo e sinto-me só. Já me incomodou muito. Estes dias têm sido estranhos porque não me apetece estar com ninguém. Sinto que fui perdendo as poucas capacidades de socialização que tinha. Sempre fui introvertido e nunca foi fácil para mim conhecer pessoas e fazer amigos muito menos. 

Nunca me senti no direito de exigir nada às pessoas. Não me sinto nesse direito mas há pessoas que já exigiram muito de mim. Exigiram o que eu podia dar, o que eu não sabia se podia dar, o que eu não sabia dar...algumas vezes culparam-me por eu não dar, culpa de não saber dar, culpa do que eu não sei como dar. Se me dizem que paciência não é o meu forte eu também não a fui recebendo em doses generosas.

A fome e o apetite parece que tem dias que entram em curva descendente da mesma forma que o desamor começa a aparecer quando estamos apaixonados. A indiferença apaga o amor e o ódio.

Não sei que rumo dar às ideias. Quero desabafar mas não quero falar, não sei bem o que dizer, os pensamentos estão difusos, estou cansado.

Nem tudo é mau. A fome por comida nunca passa e o meu brother from another mother disse que me mandava Ovos Moles, o que é muito bom! 

Ouviste/Leste? 


Foda-se...

(se há erros ortográficos no texto...not in the mood today, not in the mood...)

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

7 cêntimos

Há tempos fui ao dentista, mais uma vez. Na consulta o tipo lá me disse que era melhor tirar o dente, aconselhou vivamente mesmo. Cobrou-me €31 pela consulta. Paguei na hora.

Eu, como de costume, mandei a factura para a segurança social. Hoje recebi o reembolso. A consulta ficou em 7 cêntimos...nada mau no meio disto tudo. 

sábado, 3 de outubro de 2015

Cuddles...

Ahhhh merda...estou a ficar doente, dói-me o corpo todo, o sol brilhou hoje mas o tempo é de Outono sem dúvida.

Só me apetece ficar enrolado no quente mas apetecia-me ter aqui companhia que se aninhasse comigo e me dissesse que eu era fofo e fazer cenas...

love animated GIF

Se bem que isto também era bem fofo:

cat animated GIF

cuddling animated GIF

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Dores pah...

Alguém me dê drogas que me tirem as dores se faz favor!!! Para as dores da alma o álcool ainda me vai servindo agora para aquelas causadas por um tipo que andou de alicate a arrancar-me cenas da boca...

Food Drugs animated GIF

sábado, 12 de setembro de 2015

Dente

Foda-se...foda-se...foda-se...foda-se...foda-se...

Vou voltar a ter de sofrer horrores numa cadeira de dentista. O meu terror foi tal perante a notícia que o dentista se sentou à minha frente e me disse para ter calma.

Ponham-me a dormir desta vez, dêem-me alguma merda que me faça apagar completamente.

Foda-se...  

(Há quem ache que o facto de eu usar palavrões na escrita e de os dizer é grosseiro e deselegante mas não é nem para ofender nem de forma gratuita, é para desabafar)

terça-feira, 8 de setembro de 2015

O almoço

Almoço sozinho praticamente todos os dias, não por opção mas porque não tenho ninguém com quem almoçar. Não me incomoda muito sinceramente, não é nenhum drama, quando o rei faz anos tenho companhia para almoço o que torna a refeição mais agradável. 

Pensando bem e tirando quando está mais alguém na cozinha aqui de casa, eu faço todas as refeições sozinho. Aprendi a comer sozinho, a estar só eu, a comida e o computador para ver uma série. Para mim é normal, vivo neste país sozinho, conheço algumas pessoas (não sei se chamar essas pessoas de amigos não será esticar a corda) mas não existe um hábito de ajuntamentos, pelo menos do qual eu faça parte.

Aqui há uns tempos fui convidado para um jantar com um grupo de conhecidos e lá fui eu alegremente pela estrada fora à descoberta de mais uma terriola aqui do burgo. Estavam lá algumas das pessoas com quem me dou há mais tempo desde que aqui vivo. Com o tempo uma pessoa percebe os defeitos, vai tolerando mas a certa altura...oh pah... 

Não tenho paciência para certas merdas, já dei para muitos e diversos peditórios do mesmo género mas depois eu é que sou o puto no meio disto tudo...

No tal jantar a certa altura alguém perguntava a outra pessoa, colega de trabalho, como estavam os planos de almoço para aquela semana porque TINHA de ter companhia para almoço. Não era querer companhia por não gostar de almoçar só, era porque TINHA de ter. Estas duas pessoas trabalham num sítio altamente político, cheio de aparências em que até para tomar café as pessoas escolhem a companhia. O ver e o ser visto...

A conversa começou a incomodar-me por toda a superficialidade da cena. 

A certa altura ficava chateado porque não me incluíam em planos de almoço, sentia-me como aquele elemento de recurso para fazer número e até me sentia a mais. Comecei a dar mais valor a comer sozinho. 

Comam, relaxem, deixem-se de merdas.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

sábado, 29 de agosto de 2015

Compras inúteis...

Ontem estava eu no duche, tranquilamente ensaboando este corpinho de deus grego (notar a ironia sff) quando olho para a frente para um frasco de shampô e me apercebo que na semana anterior tinha feito a compra mais inútil dos últimos meses...

Eu rapei o cabelo. Mesmo rapado e passei a gilette e tudo. Tãooooooo suave...

Agora que se lixe, uso na minha soberba barba mas não deixa de ser um desperdício.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Estudei no sítio errado...

Olha que artigo curioso eu fui encontrar aqui. Realmente estudei nos sítios errados e estes espanhóis é que a sabem toda. 

Love Sexy animated GIF

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Que raio de mania...

Estes dias fui ao centro da cidade e por lá encontrei a minha colega de casa. Já tínhamos falado se possivelmente nos encontrarmos no centro porque havia cinema ao ar livre e o filme era porreiro, um filme de culto, uma comédia. 

Vínhamos embora para casa e a conversa (era mais monólogo porque eu não me apetecia falar e tenho dias em não sei porquê não me apetece falar) foi parar a relações, paixão e cenas afins. Eu já tive longas conversas com ela sobre isto e se alguém acha que eu sou teimoso e casmurro é porque não conhecem esta peça que de quando em vez faz sobressair a sua veia de sabe tudo e adivinha. 

Das coisas que me irritam nas mulheres (há algumas é verdade mas eu continuo a adorar mulheres...tem dias que é complicado perceber porquê mas enfim...) é aquela onda de que sabem tudo, já descobriram tudo na vida, já têm a experiência toda e dão uma de paternalistas para cima de mim. É isso e subestimarem-me. ADORO!!! Gosto tanto como pontapés nos tomates.

Voltando à conversa.

Diz ela: "Ah, tu dizes isso agora mas quando te apaixonares a sério, eu já te disse, daqui a tempos apaixonaste a sério aqui por uma mulher e aí vais fazer tudo por ela!"

Eu: "Fodasse...mas que mania a tua pah! Mas tu é que decides se as paixões que tive foram a sério? Já me apaixonei de verdade, sim. Mais do que uma vez e nunca resultou. Nunca fui correspondido. Não me quiseram. fui rejeitado. Mas queres que eu faça o quê? Já me andas a aborrecer a sério..."

Ela: "Bahhhh isso dizes tu. Não acredito, tens a mania. Sabes, é uma escolha que se faz. Gostar a sério de alguém, apaixonares-te por essa pessoa, é uma escolha. Aí vais ver que vai resultar!!!"

Neste ponto eu não sabia se havia de rir ou chorar...

Eu:"O quê?! Ai é uma escolha? Quer dizer, eu agora decido que gosto de determinada pessoa e ela só por causa disso vai-se apaixonar por mim também?"

Ela:"Pois...não é bem assim..."

Eu: "Não, não é. Isso não se escolhe. Tu não escolhes apaixonares-te por uma determinada pessoa e isso não vai fazer que ela se apaixone por ti. As coisas não funcionam assim. Nem toda a gente encontrará alguém, nem toda a gente será alguma vez correspondida na vida. Há pessoas que vivem sozinhas. Encontrar um parceiro/a não é uma verdade absoluta, não acontece a todos!"

Ela:"Bahhh, não, há sempre alguém..."

Aqui eu bufei para o lado e acelerei de maneira a que ela se calou com algum medo.

Isto era uma alegria se fosse tudo como ela diz. Já agora, eu escolhia apaixonar-me por uma gostosona do ginásio que tem um corpo bem tornado, uma carinha de mazona mas que tem um sorriso adorável que me faz derreter e babar um bocadinho e ela por seu turno ia desenvolver uma paixão assolapada pela minha barba de 3/4 dias, a minha calvície latente e perímetro abdominal de fazer inveja a qualquer michelin...Mas como é que eu não pensei nisso antes?!

Olha que merda, andei sempre a fazer tudo errado e era tão simples: é só escolher! 

sexta-feira, 31 de julho de 2015

(post não aconselhado a pessoas sensíveis) Faz-me falta, apetece-me...cenas

Ahhhh...que vontade que assalta de...cenas. Apetecem-me cenas...

Cenas o tanas, eu sei bem do que tenho vontade e o que me apetece mas pronto, não está nada fácil.

Apetece-me cometer uma loucura e estes dias calhou ouvir umas músicas de uma banda bastante engraçada e cujo álbum me aguçou mais o apetite. Lovage é a banda e Music To Make Love To Your Old Lady By é o álbum, aconselho vivamente. 

Falo de sexo. Sim é isso. Sem rodeios ou outras merdas, é o que me faz falta, o que me apetece. E qual é o mal? Não me venham cá com merdas do amor fofinho, só com sentimento, béu béu béu pardais ao ninho. Não me fodam, pelo menos dessa forma, já de outras...
Ai...ninguém me diga que não gosta de uma gostosa berlaitada, quente, suada, tórrida, despudorada, sem tabus, lasciva até não poder mais e (quase) sem regras! Bem, se calhar há quem não goste, não percebo mas cada um sabe de si não é.

Apeteceu-me escrever isto e não é com a intenção de mandar indirectas ou ver se me calha alguma coisa, apeteceu-me, pronto. O blog é meu e eu faço o que eu quero aqui.
É uma belíssima actividade lúdica, faz muito bem ao corpo e mente, eu adoro e sei de fonte segura que há mais gente a pensar da mesma forma do que eu. 

Se me quiserem bater por isso, estão à vontade mas...cuidado, eu ainda posso gostar e depois o feitiço vira-se contra a feiticeira! LOL

Uma das músicas em particular deu-me tantas e tão boas ideias que só dois não chegam para levar a cabo o que a música sugere :P 

Miauuuu... :D




terça-feira, 28 de julho de 2015

Gente curiosa...

Dividir casa com outras pessoas às vezes é chato, uma merda mesmo, outras tem a sua piada e quando não temos grande alternativa porque não nos saiu o euromilhões nem ganhamos €5000 por mês temos que gramar a pastilha e pronto.

Ontem à noite apeteceu-me ir ao cinema. Como de costume meti-me no meu fiel bólide e lá fui eu. Por vezes só me apetece mesmo ir lá comer pipocas mas como não as posso comprar sem comprar um bilhete, lá vou eu. O Freud diria que estou a preencher um vazio com comida...sim, até estou. Segundas-Feiras à noite solitárias são fodidas depois de um Domingo e Sábado solitários, vidas pah... verdade seja dita que também vou sozinho porque, para além de não ter companhia, não convido ninguém nem me apetece dividir as pipocas.

Voltei para casa e fui abrir a garagem para estacionar o carro. Em casa passo pela sala para poder chegar à garagem e lá estavam a ver televisão um casal que aqui vive. Dou-me bem com eles, mais com ela porque ele passa muito tempo fora em trabalho. Falamos imenso e ela tem a firme fé, eu acho que é só teimosia porque ela tem a mania que tem de ter razão, que eu daqui a tempos vou estar casado. 
Ao passar a primeira vez por eles ela olhou-me de alto abaixo com aquela cara que eu já conheço e da qual já sei que dali vem coisa.

Guardo o carro, vou a passar pela sala e lá solta ela a pergunta:

Ela: "Heyyyyy...where have you been mister? Ah?! Out?! Alone?!"

Eu já sabia que ela me ia perguntar onde tinha estado e com quem àquela hora, desatei a rir e não disse nada enquanto ia andando devagar.

O namorado lança-lhe um olhar reprovador.

Ela: "What?! I can ask!"
O namorado: "You can stop being so nosy!!!"

Eu ainda me ri mais com a tirada dele. Acho piada a deixá-la assim a roer-se toda porque ela é um bocadinho cusca mas rio-me imenso com ela.


quarta-feira, 22 de julho de 2015

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Momento...

Aquele momento em que ela sorri e tu pensas "Oh foda-se..."

happy animated GIF


smile animated GIF

smile animated GIF

Aquele momento em que ela te cumprimenta, abraça, diz que teve saudades tuas e tu pensas "Oh foda-se...estou tão fodido..."

love animated GIF

Depois venho embora para longe e já sei que isto me passa.

Fica-me esta música que me tem viciado:



sábado, 20 de junho de 2015

Let's get back in touch

Ai o que me apetecia depois desta semana desgraçada era...bem o cigarro já lá vai mas o que me apetecia mesmo, mesmo, meeeeeeeeeesmo era mandar assim um cartão a uma certa pessoa.


Há mais cartões giros aqui que também me apetecia mandar a outra gente.

A banda sonora podia ser variada mas acho que esta tinha de fazer parte.




terça-feira, 16 de junho de 2015

You are not that special...

Em raros momentos da minha vida me achei o 'maior da minha aldeia' como diria o outro. Achava que eu era O gajo, ego insuflado mas a dar uma de falso modesto e humilde. Depois passava-me. Momentos de tolice/estupidez que por alguns motivos me davam e depois com algum tombo me passavam logo. 

Já houve momentos em que me achei especial. Outro momentos em que me achava especial e que era especial para alguém. A vida, o destino, o karma, os orishas, etc. e tal e as mulheres encarregaram-se de trazer de volta à realidade: não, não sou especial. 

Eu sei que não sou especial, que raio, eu não tenho essa ousadia. Erradamente já achei que me estavam a dar essa importância mas das coisas que eu fui aprendendo na vida é a meter-me no meu lugar, por vezes é preciso alguma ajuda, ou uma pancada mais ou menos forte, mas eu chego lá. 

Vivo desassombrado e sem ilusões desta natureza, não sou especial a não ser os meu pais (acho eu :P) quanto mais não seja por ser o filho meio parvo e maluco que não tem poiso certo e sempre trabalhou um sítios meio estranhos a fazer coisas que não sabem bem o que é.

Não sei se alguma das pessoas da minha vida lê este blog, se ainda o lê ou se vai acabar por ler isto mas eu quero afirmar que não é minha intenção ser injusto, ingrato ou ressabiado com o que escrevi, a sério. Eu não tenho o direito de cobrar nada a ninguém e só tenho a agradecer o que me deram e o bem que me fizeram sentir. 

Houve e há pessoas especiais para mim. Nem todas essas pessoas sabem o que significam para mim, uma delas sabe-o bem porque mais do que uma vez eu lho disse. O meu coração e cabeça podem ser altamente partidos e disfuncionais mas são sinceros no pensar e no sentir.

Estes dias vinha para casa e na rádio Portuguesa aqui do Grão-Ducado tocava a música de uma banda que eu sempre gostei. Aplica-se bem ao que quero aqui dizer, há pessoas que são um vício.


Mais uma porque espero não cair no esquecimento...




sexta-feira, 29 de maio de 2015

Blush baby blush...

Só porque tive um dia de merda e sou um gajo que cora facilmente, tomaaaaaaaaaaaaaaaaaa...


E uma música para criar ambiente...


quarta-feira, 27 de maio de 2015

Eu sei lá...

Estive uns quantos minutos a olhar para a "folha" branca do blogger a pensar no que escrever. Há coisas que quero dizer mas que não devo nem posso porque certas coisas só estão seguras dentro da nossa cabeça.

Toda a gente tem segredos que deve manter na sua cabeça e só confiar a si mesmo. Eu tenho demasiadas ocasiões em que devia estar calado e não estive, que devia calar e escutar e não calei, e outras tantas situações em que devia ter tido tomates para dizer o que devia ou que pura e simplesmente não sabia o que dizer. 

Sou um acto falhado em muita coisa na vida e o medo de falhar de novo por vezes limita-me nalgumas escolhas ou decisões. Se calhar foi esse medo que me trouxe para onde estou hoje mas isso fica no campo dos se's. 

Não sou crente na mudança das pessoas, daquilo que são na sua essência mas...há sempre um mas não é, há pessoas especiais que nos fazem pensar e perceber que se calhar é possível limar alguns aspectos, fazer por mudar algumas coisas, procurar a mudança. Tem dias que o tough love é preciso e tem outros dias em que uma pessoa se sente uma merda...

Há dias coisos, não me ocorre palavra melhor, pronto.

Música subordinada ao tema, música de gente que eu aprecio.




segunda-feira, 18 de maio de 2015

E se começássemos pela cama?!

Os dias passam, as semanas passam e é mais do mesmo. As coisas vão-me aborrecendo mas também estou algo acomodado...Por vezes surge uma ou outra conversa virtual com velhos conhecidos e amigos para ir dando as novidades que não tenho. 

Algumas vezes lá vem a pergunta sacramental "Então e gajas, caralho?!". Sim, sendo um gajo da zona norte e com amigos de lá a palavra 'caralho' é muito versátil e usada em múltiplos contextos. Por vezes a pergunta também é feita de outra forma mais suave "Então e babes?!"

A minha resposta é sempre a mesma e eu já não sei se me perguntam isto por circunstância, se é por caridade para eu pensar "eh lá...ele/a pensa que eu tenho algum sex appeal e que as mulheres me curtem" ou se realmente têm uma fé inabalável nas minhas capacidades de sedução para engatar uma miúda. Eu admiro-lhes o optimismo, a sério. 

Há dias houve de novo essa conversa e lá veio de novo a conversa da minha atitude e bla bla bla pardais ao ninho...Eu agradeço a tentativa de tough love e de me de certo modo ajudar especialmente vindo de quem vem, a miúda é lindíssima, ela sabe que eu a acho uma gata gostosíssima de cabelo preto com franja, e um amor de pessoa mas as coisas não vão lá assim. Tenha eu a atitude que tiver isto não me parece que vá lá, e eu expliquei isso. Ela lá me lembrou de um caso que lhe tinha confidenciado e que até tinha corrido muito bem...
Ela sabe que o caso não dá para servir de exemplo porque não dá, porque as mulheres não querem diga-se de passagem, para conhecer as pessoas começando pela cama porque se desse...era tudo tão mais interessante!



sexta-feira, 1 de maio de 2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Ditaduras há várias

Ontem estava a responder a um email e, no meio de outros tantos assuntos e enquanto lia o mail recebido, dei por mim a pensar nos discursos 'tipo' de certas pessoas e que me deixam fora de mim, enfurecem-se de tão cliché, tão batidos e ranhosos que me soam. 

Parece que em certas coisas, certos aspectos da vida de uma pessoa tem que seguir uma cartilha e ter certos elementos senão é pura perda de tempo, não valemos nada, não somos nada, nada tem sentido e demais patacoadas com as quais só o Gustavo Santos pode rivalizar. Há como que uma ditadura dos modos de fazer e viver. 

O tema que me chateou foi o amor. Não por ser exactamente o amor mas como as pessoas usam a palavra e o sentimento como arma de arremesso e bandeira para tudo e mais umas botas.


Eu percebo perfeitamente a cena toda do amor e coisas afins mas quem não o tem também vive e não apenas sobrevive. 

Chateia-me profundamente os fundamentalistas do amor: ai sem amor nada vale a pena, do que vale a pena ter coisas se não há ninguém em casa ao fim do dia, ai a vida não faz sentido sem ter alguém com quem partilhar, por amor tudo se faz, eu sem amor morro, é um/a mal amado/a e é por isso que é assim mal humorado/a, dizes isso porque nunca amaste ninguém, tens de amar alguém para perceber, ai amar e ser amado… 

Pah, minha gentinha…menos por favor. Então quem não consegue ter amor ou quem o/a ame? Vai-se deitar abaixo de uma ponte?! Vai meter a corda ao pescoço?! Dá um tiro nos cornos só porque não foi bafejado/a pelos deuses do amor?! Caramba que obsessão da treta dessa gente. Uma pessoa por vezes já se sente na merda, e uma merda, por causa de estar sozinho e ainda vêm esse trovadores do amor de pacotilha…poupem-me!!!

Fodasse...sinceramente, pah fodasse lá mais o caralho da ladaínha.

Há vida para além do amor. Com amor deve ser giro, ou mais giro, deve ser...não sei, quem sabe um dia destes, daqui a uns anos eu não apresento a minha opinião...até lá, pessoal sosseguem a franga porque o mundo não é cor-de-rosa todos os dias, toooooooooooooooodo o santo dia.

Eu cá acho que mais vale a dita dura que uma ditadura!

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Prova oral - A arte do fellatio

Certo dia apeteceu-me escrever um texto sobre sexo oral, um tema que muito me interessa, me dá um imenso gosto e gozo praticar tanto a dar como a receber. Admito sem qualquer tipo de pudor nem gabarolice que gosto muito de sexo oral, de o fazer com toda a dedicação e não fico nada ofendido de receber dicas e comentários da mulher com quem estou a partilhar aquele momento. Somos todos diferentes, gostamos das coisas de forma diferente, com ritmos diferentes, força diferente, durante mais ou menos tempo e não há duas vaginas iguais...pelo menos as que eu vi, não as vi a todas por isso é que escrevi o que escrevi. 

Mas e então nós?! Sim, os gajos também gostam de receber, de ser presenteados, de se deleitarem com um fellatio digno de registo. Há excepções, estão no seu direito mas sinceramente eu não os percebo. Adiante.

Muitas mulheres acham que isto do fellatio, ou bico/broche para os amigos, é só chegar, meter aquilo na boca, fazer de conta que é um Calippo de limão ou morango que ali está, dar umas chupadelas e o gajo já fica contente e nem tem que reclamar porque muita sorte já tem ele que a 'princesa' se tenha dignado a abocanhar-lhe o dito cujo. Sinceramente...nenhuma mulher é obrigada a gostar ou fazer mas por favor não façam fretes ou se metam com nojinhos estúpidos, a menos que o gajo negligencie a higiene, aí o gajo que se vá lavar!

Estes dias andava a ver as novidades nos blogs que vou seguindo e deparo-me com um texto sublime da Camille precisamente sobre este assunto. Ela escreve muitíssimo bem, sou um seguidor fiel e acho que muita gente devia ler com atenção as palavras dela. No post "Orquestra" ela disserta sobre como deve ser o fellatio, o que não deve ser ignorado, o que também merece atenção para não ser mais um mas ser O fellatio. Espero que ela não me leve a mal ter mencionado o blog dela mas, e se por acaso leres isto e quiseres que retire qualquer referência, é só dizer e eu tiro ;)


quarta-feira, 1 de abril de 2015

O marasmo ou...sei lá

Ando a sentir que estou a ficar parado no tempo, estagnado, é estranho...nem sei bem como descrever. Tenho de momento alguma estabilidade, o que é bom, mas isto é estranho porque aparentemente não há um prazo a pairar sob a cabeça como dantes e isso ajuda a que eu me acomode...o que nem sempre é bom.

Este país é aborrecido e chato para quem está cá sozinho, não tem amigos e tem imensa dificuldade em os fazer, em conhecer pessoas em ser um ser sociável. Noutros países era mais fácil porque eu era quase o elemento 'exótico' da cena porque não havia mais nenhum Português e isso ajudava a criar laços com as pessoas porque ficavam curiosas por saber coisas desse pequeno país que é Portugal. Sentia que tinha algo para contribuir.

Aqui não. Não me sinto integrado, não sinto que faço parte deste lugar, não tenho uma rede de amigos a quem recorrer, se tiver algum azar e for parar a um hospital não faço ideia de quem é que posso contactar e que largue tudo para ir lá ter comigo. Se calhar estou a ser injusto porque até conheço boas pessoas aqui mas não são propriamente amigos/as e já têm as suas vidas, amigos, família, etc aqui. 

Ou isto é falta de sol, férias, sexo, álcool, tabaco ou se calhar é sinal para eu começar a pensar a sério em procurar maneira de fazer de novo as malas, ir embora e recomeçar de novo...mais uma vez, procurar um lugar onde eu sinta que pertenço...

Sei lá...ando aborrecido pronto.

Fazem-me falta pessoas, certas conversas, aquele beijo...


quarta-feira, 11 de março de 2015

Reflexões ao volante e paixão das curvas

Eu até podia falar de uma fantasia que envolve eu a conduzir e uma acompanhante feminina mas deixa-me guardar isto parta mais tarde. a verdade é que me passa taaaaaaaaaaaaanta coisa pela cabeça quando tenho uma moça jeitosa comigo no carro, adiante...

Fazia eu estes dias o caminho que me leva e traz do escritório e dei por mim num estado meio lamechas a admirar a beleza de parte do percurso. A parte em que passo pela floresta e está tudo tão bem cuidado e como com neve aquele cenário era absolutamente deslumbrante. Numa parte com cerca de 200 metros as árvores formam uma espécie de túnel, é bonito! 

No meio disto tudo deu-me para ir pensando nas mulheres por quem já me apaixonei. Os dedos de uma mão chegam. Eu duvido um bocado das pessoas que dizem que já estiveram apaixonadas/os por montes de gente, acho que há ali alguma confusão porque o facto de eu me sentir atraído por uma mulher e querer fodanguice da boa com ela não quer dizer que eu esteja apaixonado. Paixão é uma coisa e tesão é outra, soa de forma parecida mas não é o mesmo no entanto para mim a primeira tem que ter a segunda senão esquece...

Isto das paixões já me vinha remoendo cá dentro porque uma pessoa nunca sabe quando começa nem quando vai acabar. Parece um ciclo que fatalmente irá ocorrer. Talvez por isto nunca gostei de estar apaixonado. Só me provocava uma tremenda agonia, um nó no estômago e um aperto no coração. Esta merda da paixão unidireccional é uma valente merda e não me fodam a dizer que não é e que é tão bom estar apaixonado, deve ser deve mas se se é correspondido/a. A paixão por desporto nunca foi a minha praia. 

Isto das paixões podem destroçar uma pessoa. Eu já andei na merda algumas vezes, e por largos meses, por causa disso. O facto de estar a umas horas de avião ajudava a aliviar a cena porque não me ia cruzar na rua com ela, outras o álcool era um aliado nas noites de insónia e outras era como que trespassado por facas quando fingia estar tudo bem e a via feliz com outra pessoa. 

Aqui há uns anos, poucos, estava na ressaca de uma paixão e tive de ir ao casamento de uma amiga. Não uma amiga qualquer, a minha primeira paixão, o meu primeiro amor, a mulher que durante uns 10 anos eu achei ser "A tal" e a única que eu achava que algum dia seria capaz de me levar ao altar. Foi brutalmente estranho e não foi pelo facto de eu não simpatizar muito com o marido dela, foi estranho porque durante anos pensei que quem estaria ali ao lado dela seria eu. Nunca fomos mais do que amigos mas aquilo tocou-me...isso e ter rasgado o meu blazer preferido no raio da boda.  

A paixão e o amor realmente não são para todos. Nem toda a gente será alguma vez correspondida na paixão e/ou no amor. Nem toda a gente viverá um grande amor. Há quem vá ficar sempre sozinho/a e não é pessimismo meu, é a verdade. 


sexta-feira, 6 de março de 2015

Já que insistes...

...podes, anda lá :P

Yes you most definitely can.

(nota-se que ando sem tempo/vontade/inspiração para escrever algo mais complexo e a gaja é bem gira e apetecível...)

segunda-feira, 2 de março de 2015

O meu avô nunca me deu conselhos destas mas olhem que...

...até tinha sido útil mas como sou um rapaz que faz por se informar lá me fui safando airosamente. Se há reclamações falai agora ou calai-vos para sempre :P 

An advice of my grandfather ...

domingo, 22 de fevereiro de 2015

A banda sonora de pedaços de vida

Ouvir música sempre foi das coisas que nunca dispensei ao longo da vida. Seja a trabalhar, conduzir, anhar em casa há sempre alguma música nem que seja só para não haver absoluto silêncio.

A minha cabeça funciona de uma forma estranha por vezes, se alguém leu mais do que um par de posts meus já o percebeu há muito, e tem o péssimo hábito de associar músicas a pessoas e/ou alturas específicas da minha vida. Muitas vezes isto é uma merda porque eu até gostava de uma música e passei a odiar porque me lembrava de certa pessoa, em 90% dos casos é por causa de mulheres...o facto de eu já não conseguir aturar Coldplay tem a ver com uma mulher mas não só. Já não aguento, pronto lol

Mas isto é "normal", ou seja, acontece a muito boa gente para além de mim. Por vezes vou fazendo as pazes com algumas músicas ou então, não sei bem porquê, mesmo que associando a alguém consigo tolerar e ainda gostar de certas músicas.

Um belo dia uma bela mulher que, não há volta a dar a isto, me despedaçou o coração mandou-me uma música e uma palavra a acompanhar "Desculpa". Depois de ouvir com atenção e ler a letra eu percebi o que ela queria dizer. Não há grande coisa a perdoar porque as coisas são como são, a vida não é justa e espero que ela esteja e seja feliz.



Noutra ocasião era de madrugada e eu tinha chegado a casa depois de estar num bar a beber com uns amigos. Era tarde, ou cedo dependendo da perspectiva, e no Facebook alguém me tinha deixado uma mensagem curta, simples e que me intrigou "Obrigado, precisava mesmo de ouvir aquilo." Eu estava meio tocado e não liguei os pontos. Ao perguntar que o que é que ela queria dizer com aquilo, ela explicou-me que estava a ter uns dias de merda e que a música que eu tinha partilhado umas horas antes a tinha emocionado e lhe tinha dado ânimo. Isto surpreendeu-me muito porque vindo de alguém que foge tanto a mostrar o que sente, é obra. Para variar também me partiu o coração aos pedacinhos mas, acho eu, não faz a mínima ideia disso nem eu pretendo contar-lhe a menos que eu esteja a morrer.

Gosto muito da banda e a letra é boa ;)

  

Lembrei-me de outra que não ouço há muito tempo e que ficou ligada a uma promessa que me foi feita de que, algum dia a ouviríamos juntos em algum momento. 



Nunca a ouvimos, até hoje, mas a sinfonia que fizemos juntos a dado momento...essa foi absolutamente fenomenal!  

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Prémio...para um aeroporto

Mais um prémio para o aeroporto da Invicta, aqui. Gosto deste aeroporto apesar de já ter sido muito infeliz lá...feliz também mas sei que quando chego lá vou ter que voltar para partir de novo :( 

O aeroporto é bom, pronto.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

continua...

Mal posso esperar que este mês acabe...pelo menos este mês a ver se estas merdas todas passam e tenho algum sossego, que massacre. 

Só merdas a acontecer, agora parece que sou o culpado de todos os males do mundo...puta que os pariu a todos, fodasse que ando farto de ter gente que em vez de explicar as coisas e ajudar só procura maneiras de me crucificar ainda mais.

Eu quero ser uma pessoa melhor e não desejar mal a ninguém mas às vezes é fodido não ter certos pensamentos, ai se é...

P.S. - o cabrão do cupido devo mesmo ser eu porque se eu não fosse trabalhar la se ia o fim-de-semana romântico do meu colega...enfim, deixa la o rapaz ter o mínimo de vida pessoal senão a miúda passa-se com ele. 

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Choque

Tenho levado com cada tratamento de choque nos últimos dois meses que tenho dias em que estranho as minhas próprias reacções e tenho algum medo delas. Em certos momentos acho que estou algo desumanizado...esta merda é estranha mas fodasse...isto é complicado de gerir.

No dia de Natal perdi uma pessoa que foi fundamental no meu crescimento e na minha vida e que por força desta vida (por vezes de merda) de emigrante não pude acompanhar nos últimos meses de vida. Mágoas que ficam para sempre.

Fui tendo problemas no trabalho e a semana que passou foi no mínimo dos mínimos horrível em termos de ambiente, merdas que aconteceram e erros cometidos por mim.

Hoje, notícia choque, morre mais uma pessoa próxima. Uma pessoa com o seu quê de especial. Uma cena inesperada, coisa por explicar, de forma fulminante. Passou os últimos dias bem e num sopro...partiu.

Isto custa pah...custa um bocado ir engolindo isto tudo dia após dia, sozinho e não mandar cada alma que me aparece à frente 'pó caralho que os foda' porque é isso que vai apetecendo. 

Só me vai apetecendo meter-me na cama e esperar que os dias vão passando a ver se as coisas melhoram ou se não morrem mais pessoas próximas. 

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Lua Cheia

Vinha embora do trabalho e quase sem querer reparei que está Lua cheia. Neste país em que mal vejo o Sol por causa de tanta nuvem fiquei espantado por ver a Lua e de repente pensei "Fodasse, então é por isso!!!"

Aqui há uns anitos, vivia eu noutro continente, uma amiga mais velha alertou-me para os efeitos estranhos que a Lua cheia tem nas pessoas. Esta amiga, mulherão interessantíssima e com um sex appeal que ensandecia (e ainda ensandece ao que sei) todos os homens e algumas mulheres, chamou-me a atenção para o que ia acontecendo com os nossos amigos naqueles dias de Lua cheia. A malta andava doida, aconteciam cenas estranhas e improváveis. Algumas boas e outras nem por isso.

Hoje aconteceu um pequeno pandemónio no trabalho fruto de eu não ter lido (eu tenho quase a certeza que não estava nada escrito) uma coisa num email há um mês e tal e por isso não ter dito a um cliente como é que ele devia fazer o trabalho dele que ele faz há mais de 10 anos e eu só estou neste negócio há um ano. Isto ainda vai dar grande merda e causar prejuízos mas com a merda de formação que eu não tive e da gestão mais próxima que tenho isto havia de acontecer...enfim. O raio do gajo já me andava a moer o juízo há uns dias e acho que isto deve ser efeito da Lua...

A Lua cheia também provoca cenas inusitadas e agradáveis tal como a minha gostosa amiga salientou. Eu próprio um dia fui 'alvo' desses eventos algo estranhos mas em bom. 
Uma bela noite quente de Primavera em que eu só contava com um agradável jantar e ir beber uns copos com uns amigos resultou numa noite de perguntas estranhas/teasing ao meu ouvido às escondidas dos outros amigos, a uma conversa estranha e amassos muito intensivos barrados num "pára que aqui não pode ser...". Isto não me acontece, isto não é normal e foi brutal mesmo só tendo sido concretizado dias mais tarde por incompatibilidade de agendas. Nem com tesão a transbordar e hormonas a saltar por parte da miúda eu tive a vida facilitada para concretizar o que prometia e foi uma noite excepcionalmente orgásmica, multiplamente orgásmica...

  

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Enroladinho

O que me apetecia hoje ter uma moça gira e roliça com quem me enrolar no sofá e que me enrolasse no sofá, ali agarradinhos, aquecimento a bombar, mãos a viajar e de porta trancada para não correr o risco de algum colega de casa entrar ou então...viver no risco de alguém dar de caras com um gostoso enroscanço.

Nunca tive assim alguém com quem me enroscar, fazer conchinha, com quem fazer o chamado "cuddling" portanto não sei se sou gajo para apreciar muito ou pouco a cena mas hoje era mesmo gajo para perder a cabeça e dar forte no enroscanço.

Isto faz-me lembrar de uma música que eu gosto mas tenho que dar desconto à letra.


E se as coisas aquecessem sempre podíamos aumentar o ritmo...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Nails

Sou um gajo que gosta de apreciar mulheres, o contrário infelizmente não se passa mas eu continuo a gostar de apreciar a beleza feminina. Há merdas que eu sinceramente não entendo e que as mulheres acham que as deixam mais bonitas, sensuais, sofisticadas, na moda, etc., como por exemplo o raio das unhas de gel.

O raio das unhas de gel e dos estrondosos hinos ao mau gosto que as "artistas" das nails operam nas mãos do gaijedo que acha que é boa ideia meter aquelas bodegas nas mãos, são uma coisa que me encanita verdadeiramente. Houve um pseudo comediante que, com rara piada é um facto, as apelidou de unhas à Sheila.

Gosto imenso de ver uma mulher com as unhas cuidadas, bem pintadas, com bom gosto. É bonito, agradável à vista e, se usadas com mestria, uma boa e discreta arma de sedução. Quem é que não gosta que lhe percorram as costas com as unhas e que lhas cravem na carne quando se atinge o clímax? Olha eu não me importo nadinha :P

cat animated GIF

angry animated GIF

As unhas de gel...sinceramente, como é que o mulherio achou que aquilo era boa ideia? E os bonequinhos, minha nossa, os bonecos...Mas há gajo que ache aquilo atraente? Todos os tipos com quem por acaso comento o caso não gostam, muitos acham absolutamente nojento. De onde veio a ideia? De certeza que não o fazem para agradar a nenhum homem mas se calhar é alguma arma de defesa, sei lá eu...
É sabido que na vida selvagem muitos animais desenvolveram cores garridas e características físicas para se defenderem dos predadores e evitarem serem comidos/as, já outros, como os pavões, usam para impressionar e atrair as fêmeas. Vou mais pela primeira hipótese, só pode, porque a segunda...naaa.

A última moda que tive a oportunidade de observar foi o fazerem o raio das unhas em bico, tipo garras, mas o raio é aquilo? Fodasse...é feio pah, a sério meninas: é mau, mau, mau.

Pergunto-me sempre: mas como raio é que vão à casa de banho, como é que é?!

Isto sim...
kiss animated GIF

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Vamos lá...

...voltar a bulir!

Já há mails à espera de serem respondidos com urgência, gente que tem sérias dificuldades em ler a mensagem automática que diz que estou de férias e muita preguiça.

Preciso de motivação, mimos, sexo, lenços de papel porque estou ranhoso pra caralho, sexo, café, chocolate e sexo...