sábado, 10 de maio de 2014

A merda da distância

A distância é uma merda e mata coisas, pessoas, relações. 

O estar longe de pessoas de quem gosto e não ter a possibilidade, e/ou os meios financeiros para poder ir ter com elas, é a coisa que mais me custa nas minhas aventuras longe da minha terra.

A distância fez com que amigos se distanciassem de mim e ajudou a perceber que posso estar meses sem falar com alguns que, ao meter os pés em solo Português e indo ter com eles é como se tivéssemos estado juntos no dia anterior. 

A distância já me apagou a pequenina chama que eu julgava estar a arder entre mim e alguém especial. A distância destróis chances ao amor e faz com que as pessoas nos varram do seu coração e a mim deixa-me cicatrizes profundas no coração como que a dizer "É porque tu estás longe que não deu certo, que não aconteceu, que não foste feliz desta vez." O pior é que é verdade...a culpa é minha porque estou longe, porque tenho que ir para longe para sobreviver. Por vezes pergunto-me se sou assim tão burro e incompetente que tenho que ir para longe para poder sobreviver a nível profissional obliterando qualquer ideia que eu tenha de poder vir a ter vida pessoal.

Não acredito em relações à distância. Gostava de partilhar um bocadinho daquela imensa fé e optimismo de quem fala das suas relações à distância e que diz que essa mesma distância só reforçou o amor que sentem pela outra pessoa. Eu tento, a sério que tendo, mas não consigo encaixar isso em mim, não dá. Se digo isto em voz alta invariavelmente levo com a puta da frase, uma das que mais me enfurece e quase me faz insultar alguém: "Ah, isso é porque nunca gostaste a sério de ninguém, é porque nunca estiveste verdadeiramente apaixonado ou amaste alguém." Foda-se, pró caralho mais a puta da conversa. Sabem lá da minha vida toda ou se eu amei ou não, se me apaixonei a sério ou não. Amei sim, apaixonei sim. O sentimento do outro lado não era o mesmo, é a vida. Mas o meu sentimento era e é verdadeiro. 

Das coisas que mais prazer me daria fazer caso dinheiro não fosse mesmo problema era meter-me num avião sempre quisesse e fazer uma chamada: "Olá! Vamos jantar mais logo?"

please animated GIF

16 comentários:

  1. Admiro e respeito imenso as pessoas que emigram, a distância (entre outras coisas) é uma das razões que me fazem ter esses sentimentos, não que tenha passado por essa experiência, mas porque sei o que é sentir estar só.

    As nossas opções de vida nem sempre são as mais acertadas, podemos sempre muda-las, viver é isso mesmo … mas é apenas a minha opinião, sabendo porem que a mesma implica imensas coisas que dizem respeito à vida de cada um.

    Tenho paranóia por aquários, acho lindo o ambiente de fundo do mar … e então se imaginar um peixinho a dizer-me as aquelas palavras … OOOHHH . ficaria de certeza ;)
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que tomar opções para podermos dar algum rumo que seja à nossa vida e raramente conseguimos ter tudo, não vivemos num mundo ideal e o nosso país ainda menos 'ideal' é. Assumo as minhas escolhas com tudo de menos que elas acarretam e a distância tem sido a mais amarga, mesmo em Portugal a distância conseguia ser um problema. Preciso de algo que me teleporte :P

      Por acaso o gif foi um encontro feliz, tinha falado deste peixe, a personagem do filme, há dias com uma pessoa que me diz muito :)

      Eliminar
  2. Sabes, eu também não acredito nos relacionamentos à distância, e nada tem a ver com o amor que se sente. Não é fácil estar longe de quem gostamos, não é fácil ser emigrante por obrigação. Não é fácil sentirmos a solidão num país que não é o nosso :)
    Um beijo PM :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solidão não é nada estranha, é uma companhia de sempre, mas quando conjugada com a distância de algumas pessoas, dói mais um bocadinho.

      Beijo Imprópria!

      Eliminar
  3. Sou como tu, não acredito em relações à distância, nunca experimentei e não quero experimentar. Ainda não emigrei, mas pelo que vejo vai ser esse o meu destino, simplesmente porque não andei quatro anos a passear livros. Infelizmente são tantos os que vão para fora...
    A distância é boa apenas para vermos com quem devemos contar. De repente é, tal como dizes, uma merda...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, acho que relações à distância são um bocado tortura. A menos que exista a possibilidade de encontros frequentes e/ou um projecto de viver juntos a curto/médio prazo, acho que a coisa não dá mesmo.

      A emigração deixou de ser por ambição para ser por uma questão de sobrevivência, pensa como sendo mais uma alternativa, pode ser que seja bom para ti e que realmente gostes mas nem toda a gente se consegue adaptar.

      Eliminar
  4. Eu sempre desconfiei um bocado daquele discurso de quem emigra de que está lá bem e pode sempre cá vir ver quem gosta e bla bla bla, com o Skype não se sente tanto. Ninguém diz que lá se sente só. Mas tudo bem, mostram-se fortes e assim tem que ser.
    Posso dizer que tenho quase um doutoramento em relações à distância, mas não sou dessas que têm a opinião de que falas "de quem fala das suas relações à distância e que diz que essa mesma distância só reforçou o amor que sentem pela outra pessoa.". A distância entre 2 pessoas numa relação é o pior que pode acontecer. Aguenta-se durante uns tempos e até é verdade que os reencontros são explosivos, mas com o tempo+distância=distanciamento... Não há relação nenhuma (não acredito) que sobreviva durante muito tempo à distância. Quando alguém se habitua a estar só com o outro longe, quando alguém se habitua a sentir as saudades, por mais se ame alguém, o amor necessita de contacto (toque, presença, olhares, sexo, cumplicidade, ...) para se alimentar, sem isso vai morrendo lentamente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poder ir ver quem se gosta e tal é muito bonito se a carteira estiver recheada e se pudermos tirar dias de férias à vontade, ora bem, conheço muito pouca gente que se pode dar a esses luxos, a realidade não é bem assim. Pouca gente admite que se sente só talvez por vergonha de ser visto como um/a mariquinhas que só queria ficar debaixo das saias da mãe, a maior parte das vezes quem diz isto é quem nunca teve de ir para uma terra onde nunca esteve e tentar uma vida aí.

      A coisa que mais se assemelha a uma relação que eu alguma vez tive passou-se em parte à distância, com o Skype como aliado, e a certa altura ela soltou a seguinte frase "Isto assim é uma tortura, temos que parar com isto." Efectivamente era, a nossa ligação era só de amigos que se andavam a divertir um com o outro mas era complicado. Foi só uma pequena amostra para realmente perceber que relações à distância não dá. Como disse noutro comentário, a menos que exista um plano para se juntarem a curto/médio prazo eu não dou muito pela relação. Sou muito pelo tacto, toque, agarrar, abraçar a pessoa e com a distância...é uma merda.

      Eliminar
  5. Eu também não acredito relações à distância e felizmente, nunca tive e corto logo de raíz alguma hipótese dessas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha fé nessas cenas é, como de constata, pouca...

      Eliminar
  6. Compreendo-te na perfeição. Não é fácil estar longe quando se deseja estar perto...
    Dá um aperto no peito ler-te... tem coragem amigo... melhores dias virão.

    Acredita =)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh querida, obrigado pela preocupação mas não há motivos para isso. Isto passa-me, são dias mais cinzentos e melancólicos que acentuam aquilo que de menos bom tem esta vida de nómada.

      Beijos :*

      Eliminar