terça-feira, 1 de abril de 2014

Perguntas com rasteira

As minhas viagens e tempos de espera pelo autocarro levam-me a pensar em coisas e pessoas que estão guardadas no passado. A minha mente divaga por aí, faz cenários hipotéticos, imagina coisas estranhas, sonho, etc.

Ontem e hoje lembrei-me de uma pessoa que foi especial para mim, na verdade ainda o é porque a tenho como uma amiga que, apesar de tudo, me fez bem e por quem senti coisas tão boas.

Esta pessoa fez-me uma das perguntas mais difíceis que se pode fazer a um homem. A dificuldade não é pela complexidade da frase, das palavras mas sim porque a resposta pode levar-nos ao céu ou ao inferno. Tem rasteira e um homem nunca sabe bem o que a mulher pretende com certas perguntas.

Uma bela noite estava completamente perdido no corpo dela. Despidos de roupas e alheios ao passar do tempo, eu serpenteava pelo corpo dela pavimentando com beijos o meu percurso. Beijos rápidos, lentos, demorados, uma lambidela aqui, outra acolá, ia subindo pelas pernas, demorando-me no belo sexo dela, subindo pela barriga fazendo percursos aleatórios, voltava abaixo, subia, demorava-me nas belas mamas dela...tudo com muita calma, a gozar todos os segundos e cada beijo. Depois ataquei o pescoço porque sei que era um dos pontos "fracos" e eu adoro o pescoço de uma mulher. Neste momento ia dando beijos fugazes nos seus lábios suaves e apetitosos como sempre.

Ela estava a apreciar e a desfrutar de toda a atenção que lhe era dada, seguia-me com os olhos, tocava-me com as mãos e quando estamos cara a cara, e no intervalo de um beijo, solta a questão: "Porque é que gostas de estar comigo?" 

Tinha pouco tempo para responder e não podia hesitar, gaguejar ou mentir descaradamente. Estava numa situação ingrata para uma perguntar tão complicada de se responder quando se está nu, sob uma mulher e num elevado grau de excitação...

Na minha cabeça eu sabia bem porque é que gostava de estar com ela. Ela é gira, o sexo era fantástico e eu estava irremediavelmente apaixonado por ela, vendo bem eu amava-a. Tirando o ela ser gira e o sexo ser bom eu não lhe podia dizer o resto. O nosso "acordo" era só sexo e a nossa amizade como era normalmente.

Pensei rápido e não menti, não disse tudo, mas não menti. Era e é verdade que a acho bonita, que era bom estar com ela, que gostava do sabor dela, que ela me fazia bem e ali com ela me sentia muito bem, eram pedaços de céu num dia a dia complicado e, como em muita coisa que sabe bem, ela era viciante. 

Ela não pareceu totalmente convencida mas sorriu com quem gostou do que ouviu. 

Beijei-a, uma e outra vez, não podia dar chance para mais perguntas assim com rasteira porque sei lá eu se me safava de outra como aquela. Beijei-a e fiz com que o resto da noite fosse tão bom ou melhor que o que lhe antecedeu, o corpo a ferver depois do desejo saciado libertou-lhe a mente de mais dúvidas quase fatais para um homem desprevenido.

A sinceridade é importante, mesmo no mais inusitado dos momentos e a honestidade pode valer muitos pontos :D 

26 comentários:

  1. Não à duvida que as palavras ditas/escritas com sentido, causam impacto a quem as lê.

    Na minha opinião a pergunta dela pode ter uma segunda intenção, mas neste caso não me parece, porque ambos sabiam que estavam ali apenas com uma finalidade...passar um bom momento de sexo... ela quis mesmo ouvir palavras doces (nós mulheres gostamos)

    Para alem da parte sensual, gostei que a honestidade tenha prevalecido :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca cheguei a tirar a limpo porque é que ela me perguntou aquilo, nem mesmo meses depois porque eu acho que ela tem medo dos próprios sentimentos e, julgo, havia ali um pontinha de insegurança relativamente a alguma coisa.
      Toda a gente gosta de palavrinhas doces e dizerem-me que tenho umas pestanas bonitas não conta lol

      Eliminar
  2. Perguntaram-me o mesmo há uns dias.. Porque é que gostava e quanto gostava. Estávamos numa situação muito idêntica à tua. Também senti a pressão dos segundos a passar e o meu cérebro estava a mil com o amor incomensurável que tenho pela pessoa. E não consegui dizer nada, mas nada mesmo. Dizer que ele era isto ou aquilo não me fez sentido e não ia fazer jus ao que sinto e o resto não me sai da boca naturalmente. I'm a pussy.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. You're not a pussy, foste "traída" pelo amor :P Estou a brincar mas com uma ponta de verdade, eu fiquei momentaneamente bloqueado mas de antemão eu tinha na cabeça o que aquilo era e podia dar. A minha vontade era de dizer tanto e tão pouco que se resumia a uma palavra nunca dita.

      Acho que é injusto e até algo descabido perguntarem-te quanto gostas da pessoa, irrita-me profundamente que quase se meça os afectos ao metro ou que se faça disso uma competição.

      Eliminar
    2. Pois, também achei, eu não perguntaria isso a alguém. E percebi que ele queria ouvir para depois poder dizer que sentia o mesmo. Achei que não era a razão certa, não podes dizer algo só quando sabes que vais ter retorno ou ser inseguro e precisar de uma confirmação antes. O amor sente-se, mesmo quando ninguém o diz.

      Eliminar
    3. Eu revejo-me na insegurança de não dizer porque o medo da resposta é lixado, mas no meu caso eu sei bem qual seria a resposta.

      O amor sente-se mesmo sem dizer, concordo inteiramente!

      Eliminar
  3. desculpem meter-me na conversa (de gajos) se uma pessoa gosta de estar com outra seja pelo motivo for, não vejo qual o problema de se fazer uma pergunta ... aqui só temos de ser sinceros e responder :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Luar, é 'a' Peru :)

      Luar, na minha terra costuma dizer-se que perguntar não ofende mas, acho que este tipo de situação seja não é assim tão linear. Há que ter algum jogo de cintura e não me refiro unicamente às habilidades sexuais de cada um.

      Eliminar
  4. Queres um conselho? Nunca perguntes o porquê da pergunta...
    Já que ela ficou feliz com a resposta dada na altura. Há momentos que devem ser guardados assim... com meias perguntas, metades respostas e muito sentimento.
    Coisas de mulheres... Beijos PM *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas olha que muitas vezes tenho vontade que me expliquem porque me fazem este tipo de perguntas, quero entender certas coisas e os seus motivos. Tens razão também, coisas de mulheres e eu disso não percebo nada mesmo.

      Beijos

      Eliminar
  5. O Peru Ressabiado, Sorry ... sou nova neste meio :D

    ResponderEliminar
  6. Arregalavas os olhos e dizias, tipo Lobo Mau: Porque me dás tesão!" lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah também teria sido uma resposta muito boa, mas acho que ela percebeu (e sentiu) bem isso :D

      Eliminar
  7. Do ponto de vista em que estamos numa situação semelhante... acho que lhe devia ter feito a pergunta... --'

    P.S: Curiosidade bombástica! Tu segues o meu "verdadeiro" blog ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu "verdadeiro" blog? Mas então esse onde comentei não é 'o' verdadeiro? :P

      Eliminar
    2. É :) Mas criei este, da "Sun" para escrever o que "não posso" escrever no outro... do ponto de vista em que muitas pessoas que me conheciam o começaram a acompanhar!
      Digamos que este é assim um refugio e ao mesmo tempo a chave dos segredos do outro.
      O outro ja nao... tem fotos minhas e conto mais o meu dia-a-dia :)

      Eliminar
    3. Ah muito bem ;) Já andei a investigar isso mas ainda não cheguei a nenhuma conclusão.

      Eliminar
    4. Manda vir! :P Mas nao deves chegar lá! :) Beijinho *

      Eliminar
    5. Naaa deixa estar, vamos manter o anonimato ;)

      Eliminar
  8. Já falámos sobre isso.

    duckman.

    ResponderEliminar
  9. :)

    Não vejo problema em dizer as coisas quando as sentimos :) compreendo que ao dizer-lhe mudava a vossa situação mas já pensaste que a pergunta dela pode ter tido um propósito :)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que nem sempre o devemos fazer porque as consequências podem não ser muito boas. A pergunta pode ter sido propositada e acredito que houvesse ali uma segunda intenção mas, na altura, seria dar-lhe mais armas para se afastar de mim. Foi uma coisa boa, está no passado :)

      Beijos

      Eliminar