quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Um gajo nunca está bem com o que tem

Será possível? Estou aqui só há um mês e começo a sucumbir às saudades, já?!
Não que não tenha saudades de quem ficou em Portugal, não é isso. É diferente porque eu já estou como que habituado a estar longe e a sentir falta de quem ficou, uma pessoa vai criando defesas. É um sentimento mais profundo desta vez. 

Enquanto fumo um cigarro reflicto na minha escolha em voltar para cá. Será que fiz bem? Será que foi a maior asneira da minha vida? As coisas não são como me tinham dito exactamente, há tensões, há uma guerra fria em curso, estou no meio de uma pequena tempestade sem saber para onde me virar.

Fazem-me falta as minhas pessoas.

Estou cá sozinho, nada de novo para mim, mas está a custar um bocadinho mais do que antes. Acho que a solidão não me vai bastando...mas o que é que eu sei disso? Nunca vivi acompanhado...

Faz-me falta quem me quer bem, quem eu quero ver, beijar e que não sei se ainda quer os meus beijos...o frio entorpece-me o corpo e a mente, só o coração não fica adormecido pelo frio que se faz sentir...já não sei se é bom ou mau.

Preciso de...


19 comentários:

  1. As minhas pessoas :) sorri com a expressão que também eu uso para os que amo.

    Posso dizer que te entendo PM.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A expressão "roubei" de alguém que já não me recordo mas gosto muito e senti-a como um pouco minha também.

      Eliminar
  2. E voltar para Portugal não é opção?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora de visita ou em definitivo?

      Visitar de momento é impossível, não posso tirar dias de férias e também o orçamento não permite.

      Voltar em definitivo não é opção a menos que não exista qualquer alternativa.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Num país pequenino onde há paletes de emigrantes tugas, Luxemburgo.

      Eliminar
    2. Frio pa caraças mas até que é bonito.

      Eliminar
  4. A saudade pode ser tramada, apanha-nos sempre desprevenidos...
    Compreendo-te, já vivi anos e anos longe de Portugal. Hoje Paris tem um sabor diferente. Um dia vais sentir isso também.
    Entretanto... fala connosco, pode ser que as saudades atenuem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, tem dias que não é nada fácil mas outros leva-se bem. Não sei se o sitio onde me encontro alguma vez terá outro sabor, não sei se daqui me mudo para outro lugar. Não tenho intenção de voltar a PT...

      Obrigado pelo comentário, beijinhos!

      Eliminar
  5. Sabes que compreendo na íntegra o que dizes sentir. Para atenuar essa saudade, aqui estamos nós, comunidade virtual, capacitada para ajudar a preencher esse vazio, que tantas vezes corrói o pensamento!
    Coragem e força! Lembra-te que estás aí por uma boa causa!

    Beijo quente para aquecer esse teu coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado :D
      As pessoas com quem vou falando por este meio ajudam a atenuar a saudade e ir ajudando a preencher o tempo que, como dizes, por vezes é corrosivo.

      Obrigado por também estares desse lado.

      Beijos no coração também :)

      Eliminar
  6. Precisas arranjar companhia, também ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é verdade e dava um certo jeito...estar sempre sozinho às vezes é uma merda.

      Eliminar
  7. É difícil estarmos longe daqueles que queremos bem :) Deixo-te um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, é verdade, é por vezes muito complicado estar longe mas já sabia como ia ser e tenho que me aguentar.

      Beijos!

      Eliminar
  8. Ver aqui este fantástico cantautor é que me faz logo um arrepio na espinha.
    Sempre a surpreender PM...pela positiva!

    Beijooooooo *Estrela*do*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai a menina é apreciadora do artista? Muito bem :P Esta musica tem uma pequena historia pessoal associada, coisas minhas do passado que lembram de um momento muito bom.

      Eu gosto de surpreender sempre, então se for pela positiva ainda melhor ;)

      Beijos

      Eliminar