terça-feira, 26 de março de 2013

Sorrir

Há pessoas que nesta aventura me têm feito sorrir bastante, dado umas belas gargalhada, esquecido por momentos tudo o que está para trás. É bom, sabe bem, gosto muito de viver estas fases e receber isto tudo de braços abertos.

Mas tudo isto tem um prazo de validade, como quase tudo na minha vida. A meio do Verão o grupo vai-se separar. Esta etapa terminará e irá cada um para seu lado à sua vida.

Também isto vai acabar. Não se ficarão amizades para a vida, não sei se ficarei na memória de alguém, não sei se tornarei a ver alguém que aqui conheci...ficam os momentos guardados na memória. 

O tempo passa, a neve derrete e daqui a pouco tempo tenho de começar a preparar a próxima etapa e a pensar que o ciclo vai recomeçar. 

quarta-feira, 20 de março de 2013

Mais um dia

O meu coração tem uma tendência algo masoquista. A cabeça manda-me estar completamente feliz, estou numa boa fase da minha vida depois de me sentir a navegar sem rumo, no lodo, à deriva. O coração queixa-se e eu sei porque. Ele vive de luz, de chama, calor e as brasas vão-se apagando. O coração sabe o que quer, sabe quem quer. Às vezes acho que não era mau que o coração tivesse memória curta, ou não o ter de todo.


Aceitar o que a vida nos dá de braços abertos, uma boa lição, mas…mas 'as vezes o coração manda-nos dar uma curva e mantém-nos reféns de sentimentos e a idealização do que não foi e podia ter sido. Seguir em frente é fácil de dizer, vou conhecendo novas pessoas quase todos os dias e o tempo não cura tudo. Os "se's" e os "mas's" podem muito bem ser para sempre.

É uma fase boa, memórias para a vida, memórias para mim, só para mim, vão fazendo de mim quem sou, só espero vir a ser tão bom como as memórias e estar 'a altura de qualquer expectativa que alguém tenha sobre mim.

A neve derreteu e o sol brilhou, foi um bom dia.





terça-feira, 12 de março de 2013

Frio e coisas que alegram o povo

Há muito boa gente, homens e mulheres, que ficam malucos quando lhes dão com 20cm. Ficam mesmo à nora, aquilo é uma lufa lufa, desnorteados/as, aos saltos e todos/as malucos/as.

Eu admito que até é bonito sim senhora mas depois é uma chatice para uma pessoa ir para casa.

Ora bem, será que é alguma coisa disto:

A famosa estátua belga do puto a dar a sua mijinha. 

Pode se calhar ser coisas como esta com que eu me deparei outro dia quando fui ao supermercado (não tem 20cm mas põe muita gente doida, o Bieber das donas de casa):


Não era nada disto, o que me referia era mesmo isto. 20cm dela fresquinha para alegria e/ou desespero do povo:


À espera...para variar.

Vista do escritório.

A chegar a casa finalmente.

sábado, 9 de março de 2013

As esperas...

Tenho passado bons bocados dos meus dias à espera de autocarros.

Sítio giro, casa gira, tinha de haver um senão.

As esperas são longas. Por autocarros e por muito mais coisas. Vou vendo a paisagem e pensando no que aí vem.

Esta é uma nova fase, estou feliz por isso. Há um novo rumo a tomar mas não consigo deixar de ser eu. 

Vivo as coisas sozinho. Penso no próximo destino, tenho que pensar na partida o quanto antes. Sou um gajo insatisfeito. Quero mais, quero melhor, quero o que não posso ter.

segunda-feira, 4 de março de 2013

No autocarro

Vinha para casa no autocarro, sozinho no meio de tanto emigrante como eu, perdido com os meus pensamentos e queria falar com ela. 
Queria que ela falasse comigo, que me ligasse, queria saber se pensa em mim.

Não sei bem o que pense. É melhor desligar um bocado as ideias e o coração. Amanhã há viagem de trabalho...depois penso nisso.