terça-feira, 13 de novembro de 2012

True Story!

Vi isto há bocado e não consigo para de rir. Está muito bom e eu até concordo.

Daqui.

27 comentários:

  1. Agora fiquei com pena de não perceber inglês... ;p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque é que eu não "papo" essa?! Ai percebes pois, é simples :P

      Eliminar
    2. Ahahahah! Fui apanhada, mais uma vez... Por que será que, por mais credível que tente parecer, não acreditam em mim...? ;p

      Eliminar
    3. Nem que estivesse em mandarim, quando o assunto é sexo e em particular esta vertente, as mulheres entendem muito bem :P

      Eliminar
    4. Lírio - shiuuuuuuuu! Era só uma pergunta retórica para me safar do assunto sem dar nas vistas...

      PM - Ah, pois! É claro que se fosse em mandarim entendia logo tudinho! ;p

      Eliminar
  2. Isto foi a tua tentativa "discreta" de dizeres que és muito competente?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa pôr um :p que isto assim a seco faz-me parecer a maior bruta do universo :D

      Eliminar
    2. LOLOLOL

      Essa do bruta e a seco ganha uma outra piada neste contexto.

      Eu não estava a tentar dizer nada assim de caras nem sou de me estar a gabar mas, e até já falei disso no post 'Prova Oral', o assunto agrada-me. E...sim.

      Eliminar
    3. Fui analisar a questão e já redigi o meu veredicto!

      Eliminar
    4. Ai pah, um gajo já não pode ser honesto e sincero :P

      Eliminar
  3. Sempre gostei de filmes de terror! A partir de hoje vou vê-los de outra forma... :)

    P.S. Agora entendo a postura de alguns homens... ao contrário do que referias no outro texto, é tudo uma questão de... medo :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente, queres ver que no Exorcista o demónio andava com essas ideias?!

      Caraças, se os homens têm medo então porque é que penetram por ali dentro de outras formas?! Vá-se lá perceber :P

      Eliminar
    2. Falas de sexo perdes logo o "tino".
      ahahah
      o medo é do efeito visual que assistem quando uma prática em especifico, é efectuada de forma considerada correcta pela menina em questão...
      Em relação às "outras formas" que referes... a visualização é diferente, digo eu.... isto tudo no reino das hipóteses. :)

      P.S. Fizeste-me lembrar Titchner...


      Eliminar
    3. Perco nada :P

      Medo do efeito visual? Eu cá acho fantástico, até dá outro 'alento'!

      p.s. - acho que me está a passar um bocado ao lado o essencial da tua mensagem, isso e a referência ao estruturalismo. É cedo, dá-me um desconto.

      Eliminar
    4. Nada disso, não me referia estruturalismo, apenas ao louco do Titchner.
      Ao ler/escrever sobre medo, prazer e sexo, recordei os relatos que ele pedia ao alunos, ou seja imaginei um aluno de Titchner a descrever que: após x, fez y e a cara da parceira era de prazer mas entretanto ao fazer c e z ela ficou possuída... (isto simplificando. :)

      Mais claro agora?

      P.S. Aos estudantes era solicitado que anotassem as sensações e sentimentos enquanto tinham alguma actividade sexual...

      Eliminar
    5. Ok, depois de umas horas mais acordado percebo melhor. Não conhecia este senhor nem as maluqueiras que ele pedia. Devia ser giro a malta ali a mandar a bela da queca com um bloco de notas ao lado, e o tipo de notas. Eh pah, isto dava um belo argumento para um filme, LOL!

      Tudo esclarecido :)

      p.s. - tu conheces uns tipos interessantes.

      Eliminar
    6. Sim, confesso que gosto de saber sobre alguns loucos que já cá andaram...

      Muitas das perguntas que fazemos já outros fizeram, ou sou pela lei do menor esforço, procuro sempre se alguém encontrou alguma resposta para as minhas interrogações.

      (vou tentar deixar os loucos de fora quando comentar)

      Eliminar
    7. Não é lei do menor esforço, é curiosidade (e se calhar uma ajuda do Google em tempos modernos).

      Confesso que às vezes sou um bocado preguiçoso e se calhar o colocar aqui muito do que me vai dentro também se enquadra nisso.

      Continua na mesma linha, loucos e tudo, porque eu gosto bastante de ir aprendendo estas coisas. Por vezes, quanto mais louco mais interessante.

      Eliminar