segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Domingos à tarde

Os Domingos à tarde tornaram-se, a partir de uma certa altura na minha vida, um momento da semana complicado para mim.

Acho que este misto de sensações composto por alguma angústia e nostalgia começou a manifestar-se na altura em que entrei para a universidade. O Domingo à tarde era hora de começar a preparar as coisas para ir embora, a preparar mais uma semana.

O Domingo à tarde não era vivido, era passado a preparar alguma coisa e a ir embora. Ir embora.

Nunca dava para fazer grande coisa. Os planos tinham de ficar sempre a meio ou ficar-me por coisas muito curtas e rápidas porque era dia de ir embora.

Nos Domingos em que não tinha de ir embora as coisas também não eram mais excitantes. Os meus amigos nunca também nunca alinharam em grandes planos ao Domingo à tarde. Ou tinham longos almoços de família, saíam com as/os namoradas/os, ressaca (também acontece), preguiça, etc e tal. A excepção era e é no Verão em que o pessoal se mobiliza e ruma às praias aqui perto. O mar, a areia e as miúdas em biquíni fazem milagres.

Por tudo isto os Domingos à tarde foram assumindo uma rotina meio enfadonha porque também me aborreci de fazer as coisas sempre sozinho. A certa altura veio cá para casa aquela que se tornou a minha companhia de início de tarde de Domingo. A minha cadela faz questão que eu a leve ao rio ao Domingo à tarde. Eu não sei se alguém lhe deu um calendário ou se ela aprendeu a contar os dias da semana mas o facto é que ela sabe que é dia do nosso passeio. Tornou-se uma agradável rotina. Um momento agradável no marasmo que muitas dessas tardes são.

As tardes de Domingo sempre se assumiram como uma espécie de limbo entre o fim do fim-de-semana e o início de mais uma semana.

O Domingo à tarde sempre foi muito solitário. Nunca gostei muito do Domingo à tarde.

11 comentários:

  1. Também não gostava dos domingos à tarde, mas isso era no secundário. Saber que poucas horas depois tinha de voltar às aulas desanimava-me à brava...
    Bem, já deu para perceber que, a combinar alguma coisa com a Libelinha, com ou sem flocos, terá de ser a um domingo à tarde... ;p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde há uns 10 anos que assim é. Agora, infelizmente, tenho muito tempo para gozar (ou não) o Domingo à tarde.

      Eliminar
  2. Então e tu não te passeavas com a(s) namorada(s)? É que isso de ver gajas de bikini à distância por catálogo é a mesma coisa... Está bem que o 3D acrescenta alguma emoção à coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para eu não passear com ninguém só há uma explicação.

      Ver as gajas em biquíni sempre dá para lavar as vistas, torna o ambiente mais agradável e não raras vezes há amigas por perto :P

      Eliminar
  3. Tb sofro desse dilema dos domingos à tarde.

    Quando vou a casa sinto mais isso... Tal como dizes, é o preparar as coisas para voltar à "realidade".
    A grande diferença, é que antes era só para ir para a faculdade... Agora é para ir para a faculdade e para o trabalho.

    O fds passa a correr, mas sem dúvida que o domingo ainda passa mais rápido! :|

    E depois é aquela coisa..."Amanhã já é OUTRA VEZ segunda...!"

    E parece que já é terça! xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois a mim também, a certa altura, passou de ir para a universidade para ser ir para o trabalho. A pior sensação é mesmo quando tens que te ir meter no avião porque o fim-de-semana passou e só dali a 3 meses há que há novo fim-de-semana :s

      Eliminar
  4. O meu comentário não é em relação aos Domingos à tarde,já que tenho um sentimento diferente.
    O meu comentário vem no seguimento da tua companhia, acredita que eles sabem, não sei se pelas rotinas que temos antes, se por esse controlo do tempo que referes mas a verdade é que, se esquecemos a rotina que os inclui, eles fazem questão de nos lembrar. E no meu caso existe mesmo retaliação quando não cumprimos(ignora-me pura e simplesmente).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu estava a brincar mas acho que é mesmo a repetição de comportamentos que a faz saber o que vai acontecer. Eu não sofro retaliação, só chantagem emocional :P

      Eliminar
    2. A retaliação que sofro é ser ignorada, ou seja, também pode ser classificada de chantagem emocional... :)

      Eliminar
  5. Onde andas tu PM, daqui a nada é domingo outra vez...
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu sei que sim. Conto é aproveitar bem o Sábado à noite. Tenho mesmo de arranjar uma motorista :P
      Beijo*

      Eliminar