domingo, 14 de outubro de 2012

Tão difícil que eu sou

Às vezes acho que sou mesmo um bocado ave rara. Não se o meu pragmatismo é uma coisa rara ou se muita gente gosta de complicar as coisas por puro desporto.

Normalmente ouço tangas do tipo: “Mas não pode ser assim tudo como tu dizes, tudo directo. Tem de haver algum jogo, tem de haver mais qualquer coisa senão não vais dar valor às coisas. Se não for difícil não vale a pena.”

Que me perdoe quem concordar mas eu acho este tipo de argumentação uma treta pegada.

Uma mulher que se faz de difícil só por desporto, só porque sim, porque tem de ser ou então os outros vão dizer que ela é fácil, para mim é um turn off. Eu perco o interesse porque não sou de andar a perseguir e insistir com as pessoas. Também não sou uma besta sem sentimentos e que não aprecia um bom jogo de sedução quando este tem um propósito e leva a algum lado.

Se uma pessoa quer e a outra quer o mesmo, para quê andar a complicar?

Eu até gosto bastante de todo o joguinho do teasing mas chega a um ponto que eu perco o interesse. Andávamos todos muito mais satisfeitos e relaxados se muita gente se deixasse de merdas e fizesse aquilo que não faz só porque “parece mal”.

8 comentários:

  1. Epahhh, mau feitio.... ehehheeheh
    Mas tens razão, muitos jogos cansam!
    Se ambos estão interessados, não há razões para isso. Beijokas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL!
      Dizem-me às vezes que sou um bocado sou. Eu gosto de pensar que sou um tipo pragmático e que não está com tretas. Acho aue até valho a pena assim, mas isto sou eu :P

      Eliminar
  2. O parece mal já é algo em desuso,também concordo, há gente que gosta de complicar o que é simples ou de brincar com os outros ou ainda se iludir sei lá. Mas enfim, que se divirtam!! Mas isto é porque tenho mau feitio e dificilmente me calo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é o meu problema, devia estar calado mais vezes. Uma vez uma miúda disse-me: "Às vezes...falas de mais!" :P

      Eliminar
  3. Uma opinião(cheia de gripe como a dona):

    O que parece mal ou bem para mim não tem significado.
    Não é por parecer mal ou bem mas a minha vida particular a mim pertence, logo não comento com terceiros nem admito que façam observações.
    Adoro jogos, sem qualquer pudor o digo, mas jogos se tiver algum interesse no jogo, porque se não tiver é visível sem que eu tenha que fazer o mínimo esforço.
    Quando paro de jogar é porque o jogo acabou e não há cá segundas voltas ou repetições.
    Se do outro lado não encontro um jogador, perco a vontade de brincar... (isto é valido para qualquer momento da relação não só para a fase da conquista em que regra geral só existem pessoas perfeitas).
    Deve ter a haver com a minha personalidade, gosto de investir e que invistam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui não é gripe mas a constipação também me anda a chatear um bocado.
      Eu quando falo de jogos é mais no sentido daquilo a que se chama chover no molhado, o fazer de difícil só porque sim porque de resto se souber que o jogo vai dar frutos também acho piada. As brincadeiras, os jogos, a cumplicidade, o teasing...ai que saudades e que falta me fazem. Mas tudo na medida certa. Eu não sei 'jogar', sou um bocado nabo nisso do jogo do engate e da conquista, mas sei o que quero e não tenho pachorra para certas tretas.

      Eu gosto de investir quando vale a pena, mas como sou sempre eu a investir a coisa acaba por me aborrecer...

      Eliminar
    2. :( Não me referia a tretas, penso que nos referimos a coisas diferentes.

      As melhoras para a tua constipação, a maldita gripe levou-me mesmo a melhor.

      Eliminar
    3. :( As melhoras então.

      Realmente, estamos aqui com alguma dificuldade de entendimento :P

      Eliminar