quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Ao engano

As pessoas vivem a enganarem-se a si próprias. Dizem para si próprias que são felizes, que fazem o que gostam, que amam aquela pessoa, que têm a vida que querem, que são quem querem. Muitas vezes dizem tudo isto na esperança de se convencerem de que isso realmente é verdade.

A resistência à mudança chega a ser assustadora. A preguiça também trava muita gente de dar o passo que deve e romper com algumas coisas. Há outras ainda que estão “presas” e que não podem mandar tudo para o tecto e fugir.

Eu muitas vezes não sei quem sou. Também me engano a mim próprio mas, visto ser mau mentiroso, mais cedo ou mais tarde levo com a minha própria verdade na tromba. As frustrações, tristezas e inseguranças rompem barreiras e mostram-me que estou longe, muito longe mesmo de quem quero ser, de quem poderia ser, de quem devia ser.

Não me contento com o quase nada que tenho. Não me quero acomodar porque isso não me vai chegar. Prefiro ser um miserável infeliz que continua a tentar lutar por algo melhor para si próprio do que um optimista conformado que se contenta com nada só porque tem medo de arriscar.

Acho que é preciso alguma coragem para se admitir a si próprio o que se é realmente e aquilo que se quer ser.

Eu não sei exactamente quem serei no futuro, que caminho seguirei, se o farei sozinho, para onde irei, onde irei viver, etc. O que sei é que quero o que no fundo toda a gente quer: ser feliz!

Não é pedir pouco.

8 comentários:

  1. Acomodar-se é morrer...
    Por isso luta sempre por aquilo que queres e desejas, é isso que faz de ti (tal como diz a Brenda) um vencedor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Acho que toda a gente tem essa ilusão e depois dão a parecer a outras pessoas que têm uma vida maravilhosa... Quando na realidade não é bem assim.
    No meu caso não faço isso. Quem é meu amigo sabe que tenho os meus "momentos" menos bons ou vice-versa. Sabem que tenho uma vida muito complicada (preenchida) e como tal, nem preciso de me queixar. Muitas vezes são eles que me relembram: "Fogo, admiro-te. Não sei como tens tanta força para estudar, trabalhar, e as outras coisas".
    A verdade é que não gosto de estar parada... E tenho muitos objectivos para alcançar!
    Acho que tudo tem o seu tempo certo... Há que viver com os objectivos presentes e tentar alcançá-los e depois ter outros novos objectivos! :)
    Portanto, não tem mal todas essas dúvidas. Todos temos essas dúvidas, a diferença é que uns preocupam-se mais que outros.
    ;)

    - Se sou feliz? Tento ser...Mas de momento não muito.
    - Tenho a vida que quero...? Ainda não...
    - Gosto de ser quem sou? Gosto...! :) É a única certeza que tenho.

    Beijinhos e bom dia! *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo teu texto, gostei muito de o ler.

      Eu penso um pouco como tu e a mim só me dizem que eu sou doido porque me mando para sítios estranhos sem pensar duas vezes. Eu sigo as oportunidades e não me posso dar ao luxo de ficar parado ou esperar que as coisas me caiam em cima.

      As minhas dúvidas preocupam-me muito porque têm mesmo razão de ser. Há coisas que não esperam, obrigações a cumprir e não quero ter a vida à espera de acontecer.

      Boa noite *

      Eliminar
  3. A relutância à mudança sempre foi o apanágio de gente velha, mas hoje assusta-me porque os mais novos mais paralisantes são.
    Se pensas assim luta por aquilo que queres com o optimismo suficiente, mas não exacerbado para não criar ilusões, mas sem o péssimismo que te possa paralisar. Cada um tem a obrigação de ser feliz à sua maneira e lutar por isso.O facto de saberes o que queres já faz de ti um vencedor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado :)
      A mudança não me assusta, de todo mesmo. Já mudei de país duas vezes (uma delas até de continente mudei), de cidade várias vezes e acho que não me fico por aqui. Luto pela vida que quero ter, agora está complicado...muito mesmo.

      Eliminar