terça-feira, 14 de agosto de 2012

Mixed signals

Às vezes sou um bocado desajeitado com as mulheres, especialmente no que toca a perceber qual o tipo de intenções que têm para comigo. Já tive alguns dissabores e desilusões à conta disso. Há gajas muito interesseiras, tal como homens, e pessoas como eu que têm uma enorme dificuldade em dizer que não.


Em termos amorosos então é o piorio. Sou mesmo uma desgraça a perceber se uma rapariga está interessada em mim ou não, acho que sou sentimentalmente míope quando o assunto sou eu. Quando o assunto são os outros normalmente, não é para me gabar, acerto mais do que a Maya. As dicas que dou e as conjecturas que faço por norma batem certo.


Na passada sexta-feira, a minha amiga da qual falei noutro post ligou-me porque no dia a anterior lhe tinha deixado uma mensagem a convidar para irmos à Viagem Medieval. À hora combinada fui buscá-la a casa e lá fomos.


Andamos por lá a tarde inteira. Falamos imenso, olhei imenso para ela e fico desarmado quando ela fala comigo olhando-me nos olhos com aqueles grandes e lindos olhos castanhos, e eu toquei-lhe imenso. Não é que andasse ali com as mãos sempre em cima da rapariga, nada disso. Não ou um cola ou uma lapa.


Eram toques subtis. Uma mão na cintura ou no ombro enquanto ela via um dos milhares de anéis ou pulseiras que por lá havia. De forma fugaz e sem ser abusivo. Ela não se mostrou incomodada ou deu a entender que não gostava, por outro lado também não mostrou que gostava.


Como já nos conhecemos há alguns anos e temos uma boa relação de amizade eu temo que ela interprete isto como uma coisa normal. Estarei eu a enviar sinais errados e não sei?!


Na viagem de carro para a levar a casa iamos os dois calados e eu fixei o olhar nela por uns segundos (não ia carro nenhum à frente e eu ia devagar por isso não havia risco de acidente apesar de tudo o que me passava pela cabeça :P) e ela com um ar sereno e um sorrisinho meio maroto pergunta-me: “O que foi?”
Eu respondi a sorrir e meio embasbacado: “Nada…”


Já não é a primeira vez que faço isto. Ir a conduzir ao lado dela e olhá-la fixamente por uns momentos só para provocar um bocado, uma espécie de teasing. Ela sorri e pergunta-me porque a olho assim. Ai se ela estivesse dentro da minha cabeça…


Deixei-a em casa e despedi-mo-nos como de costume dizendo que tinha gostado muito de ter passado a tarde comigo. Eu fui para casa meio desconsolado e sem perceber se durante a tarde ela me tinha dado algum sinal de que estaria receptiva a algm avanço meu ou nem por isso…

3 comentários:

  1. Para quem está interessado estás um bocado parado não?
    Se são amigos há tanto tempo, porque não falas com ela, sem rodeios...
    Já pensaste que ela pode estar á espera de um avanço teu... arrisca!...
    Boa sorte, bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim e não. O facto de ser tímido e de poder estragar uma amizade e consequentemente um grupo de amigos retrai-me um pouco. Se estivesse perdidamente apaixonado por ela provavelmente as coisas aconteceriam de modo diferente.
      Há mais em jogo do que o meu desejo mas também quero ver se esclareço melhor isto. Acho que só temos a lucrar :)

      Eliminar
  2. A viagem ainda não terminou, aproveita e avança, concordo com a Lirio... :)

    ResponderEliminar