sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Ainda a propósito do vazio...

Há uns anos atrás escrevi um texto sobre o 'Vazio' sobre o qual também escrevi um post há tempos. 
Já nem me lembrava desse texto mas o incrível é que continua actual. Há coisas que é complicado mudar...

Há coisas cíclicas na minha vida. 

Aqui fica:



"Há alturas em que estamos bem, a vida é bela, as coisas correm bem e até gostávamos de ter alguém para partilhar essa boa onda. Se não houver ninguém também não há grande crise porque a moral está em alta e a coisa passa num instante e a boa onda prevalece.


Noutras alturas é que a coisa se complica. A vida começa a correr mal, o mundo parece que está contra nós, temos vontade de fugir e desaparecer. Não há ninguém para nos dar conforto, para nos dar aquele apoio e carinho que os amigos não podem dar. Aí as coisas podem ser duras, muito complicadas de aguentar…Mas que fazer?! Bem, aguentar e seguir em frente porque ficar de braços cruzados a chorar e com pena de nós próprios não resolve nada.


Claro que é fácil falar, ou escrever neste caso, mas a realidade custa bem mais do que isso. Há alturas em que me sinto um verdadeiro farrapo humano, completamente desorientado sem saber o que fazer, o que pensar, o que dizer. E sem poder desabafar com ninguém. É duro, é complicado, mas eu habituei-me.


O vazio está lá. Muito provavelmente à espera de ser preenchido mas sem grande esperança nisso. A esperança pode ser a última a morrer como se diz, mas até essa morre e neste momento está moribunda.


O vazio de sentimentos, emoções, de paixões, da adrenalina que a ansiedade de estar com aquela pessoa especial que sente o mesmo, torna uma pessoa amarga e faz com que se feche numa fortaleza à prova de sentimentos.


A dor da rejeição, da indiferença e o vazio fazem com que me feche numa carapaça que me vai protegendo de desilusões e sofrimento desnecessário. O facto de ter as minhas defesas bem activas não quer dizer que esteja imune ao mundo exterior, muito pelo contrário. Mas parece que o mundo exterior não está lá muito aberto para mim. "

11 comentários:

  1. Pois..essa è a nossa percepção..porque na realidade somos nós que estamos fechados....
    Eu já chegeui aí.....mas não sei como mudar isso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, eu também já pensei que era por aí mas sinceramente acho que a maior parte das vezes não é tanto problema eu.

      Eu nunca me fechei ao exterior, pelo menos deliberadamente. Sempre estive receptivo ao mundo. Se calhar tenho a percepção errada ou demonstro mal. Talvez...

      Eliminar
  2. Hoje não é um bom dia para comentar este texto... estou um pouco vazia, tal e qual como tu defines...
    Não sei se o mal estará em nós... ou se pura e simplesmente o mundo desistiu de nos ajudar...
    Beijos por aqui e força!

    ResponderEliminar
  3. Pois, às vezes apetece-me olhar para o meu próprio umbigo e achar que o mal não está todo em mim. Não sou só eu que estou mal.

    ResponderEliminar
  4. E porque é que o mundo exterior não há-de estar aberto para ti?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa pergunta. Faço-a muitas vezes mas resposta ainda não encontrei. Mas que às vezes parece mesmo fechado, parece...

      Eliminar
  5. Já te li mais animado. :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que isto me passa, mas as nuvens negras andam de novo a pairar.

      Eliminar
    2. Se tens nuvens aproveita a vantagem, não fazes praia mas podes fazer uma bela caminhada, um passeio de bicicleta ou outra actividade qualquer que não farias se estivesses um sol a brilhar...
      :)

      Eliminar
  6. Como te compreendo.
    O meu blog está a fazer um ano e andei a ler os posts do inicio.. dei conta que nada mudou... o vazio e os ciclos viciosos mantêm-se. O mais complicado é não saber o que fazer para mudar tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, concordo plenamente. Parece que existem coisas que teimam em não ir embora e a nossa vida aprece que fica encalhada de certo modo.

      Eliminar