segunda-feira, 2 de julho de 2012

Whisky

Não sou o maior apreciador do mundo de whisky mas há uma marca que aprecio bastante e que associo a um breve período da minha vida.

Tinha-me mudado para outra cidade por causa do trabalho. Nessa cidade vive uma amiga dos tempos de universidade que me acolheu à cidade e por vezes me convidava para jantar. O namorado tinha sempre aquela marca específica de whisky em casa e eu sempre aceitei um copo. Comecei a tomar-lhe o gosto.

Mas este whisky tem um sabor especial não só pelas recordações daquele tempo mas também por causa de uma pessoa em especial. Uma amiga da minha amiga.

Aquela miúda enfeitiçou-me de alguma maneira. Nunca aconteceu nada entre nós, infelizmente…sempre me deu tampa das vezes que a convidei para um café. Se calhar se tivesse vivido mais algum tempo naquela cidade talvez tivesse acontecido magia :P O mundo está feito de “se’s” não é verdade.

A miúda em questão tem algo de especial. Eu acho-a linda, com um sorriso fenomenal, uns olhos que revelam um brilho que tem tanto de misterioso como de bonito e umas pernas que me fazem perder a cabeça. Há algo nela que me atrai, que me fascina, aquela faísca que nos faz ficar embeiçados por alguém. Não é bem paixão, não é só tesão, é tudo junto. Não sei bem explicar mas acho que toda a gente já teve uma pancada destas.

É uma das mulheres mais interessantes que já conheci mas acho que sofre daquele síndrome estranho que ataca as mulheres e as fazem ter preconceitos relativamente a homens mais novos. Eu acho que 3 ou 4 anos não é assim muito mas pronto…

As nossas primeiras conversas foram à volta daquela garrafa de whisky que nos fez companhia por algum tempo. Ficamos horas na conversa. Eu adorava conversar com ela e, segundo a nossa amiga comum, ela também gostava muito de conversar comigo. É uma pena que nunca tenho evoluído para mais nada. Ficou sempre a minha enorme curiosidade de saber qual o gosto daqueles lábios carnudos.

Apesar de já terem passado quase dois anos desde a última vez que a vi eu continuo a pensar nela. O Facebook lá permite um ou outro contacto ocasional. Ela diz que tem saudades e eu também tenho saudades dela.
A distância é uma merda senão já tinha ido partilhar um cigarro e um whisky com ela, aproveitava e roubava-lhe um beijo!

11 comentários:

  1. Opá, é assim tão longe? Não dá para fazer uma loucura um dia? Até eu fiquei entusiasmada com a ideia do beijo roubado e não é nada comigo! xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinha que percorrer metade do país e neste momento sem ter carro fica complicado...vontade não falta e também gostava de ver a cara dela na cena do beijo :)

      Eliminar
  2. Mesmo com a distancia, se calhar devias... sabe-se lá. Pelo menos arrumas mais um "se" :) Pensa nisso **

    A.S.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois devia mas como já acima, neste momento não dá mesmo.

      Eliminar
  3. Whisky não é a minha onda mas adorei o texto. Dei uma valentes gargalhadas com "...acho que sofre daquele síndrome estranho que ataca as mulheres e as fazem ter preconceitos relativamente a homens mais novos..."
    Linda historia...
    Quando a vido to permitir não lhe roubes só um beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste :)
      Sinceramente eu ainda não consigo aceitar bem essa conversa do homem mais novo, até porque a maior parte das vezes é uma desculpa esfarrapada.

      Eliminar
    2. Pode não ser e a menina entretanto pode ter mudado a forma de pensar :)

      Eliminar
    3. Um dos casos que me aconteceu então foi um fenómeno, lol! É que um dia eu era muito novo (eu sou UM ano mais novo que ela) e 3 semanas depois namorava com um tipo 5 anos mais novo que ela. E esta, hein?! :P

      Eliminar
    4. Aí foi mesmo falta de sinceridade...

      A imitar o Pessa :)

      Eliminar
  4. Eu então, sofro daquele síndrome que ataca algumas mulheres e as faz SÓ gostar de homens mais novos:)

    ResponderEliminar