terça-feira, 5 de junho de 2012

Amizade descartável


Eu não exigo a ninguém que goste de mim. Não o faço nem seria lógico ou racional exigir, que direito tenho eu disso?!

Nenhum! Ninguém tem.

Mas acho que não é despropositado pedir um bocado de respeito e consideração. Se calhar isto é pedir muito, talvez…já não sei bem o que pensar.
Não acho bem entrar-se na vida de alguém, instalar-se bem instalado, usufruir de tudo o que a pessoa lhe pode oferecer e, quando já não interessa ou se tem outras pessoas mais interessantes com quem passar o tempo, chutar as pessoas para canto e como que abandoná-las.

Não acho bem que que se arrangem desculpas para evitar alguém só porque a dado momento já não dá jeito, já não tem tanto interesse, já não serve para amigo.

Não acho bem que se use e abuse dos sentimentos, tempo e desejos de alguém para insuflar o ego e depois se abandone a pessoa.

Não me importa que me usem enquanto homem, que uma mulher queira usar o meu corpo para o seu próprio prazer, o que me importa é que me usem enquanto amigo.  Isso dói-me muito porque é uma espécie de traição que me corrói por dentro.

Há uma pessoa que devia perceber que não de pode demitir completamente do papel de amiga numa altura em que alguém que contava com ela mais precisava. Devia ouvir uma música já algo antiga dos Texas que diz algo como isto: “I don’t want a lover, I just need a friend […]”

16 comentários:

  1. compreendo! o problema é quando nos começamos a centrar demasiado nesses pensamentos, em como nos sentimos magoados, como as coisas se desenrolaram, o que poderia ter sido diferente ... e no fim são as lágrimas, o coração destroçado de um lado ... porque o outro lado seguiu a vida (expressão do próprio)

    ResponderEliminar
  2. Agora é que vim aqui ver,quando comecei a ler o teu blog não vi o que estava para trás. Sabes acho que o pior que podemos fazer é desistir de uma amizade verdadeira. Mas será mesmo que essa tua amiga desistiu do papel de amiga? Para mim que já conto uns aninhos e passei por amizades verdadeiras( são poucas confesso) e outras imperfeitas digo-te: Não se desiste dos amigos ou se é ou não se é amigo e para sempre! Pode haver afastamento por vários motivos da vida mas não se deixa de ser amigo por isso. Já me aconteceu afastar-me dos amigos sem se dar conta porque o pouco tempo não me permite cuidar da amizade como devia mas um belo dia tudo retoma no ponto onde estava e onde sempre esteve .Pois amigo é aquele que fica num tempo que vai correndo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sorriso, e porque é que tenho de ser sempre eu a procurar, a falar, a cultivar a amizade? Porque raio tenho de ser sempre eu a correr a atrás? Não tenho que ser sempre eu, não quero ser sempre eu. O amor e orgulho próprios que me restam não me deixam. De mim podem ter tudo o que querem mas se me tratam mal depois não se queixem se as riscar da minha vida ou guardar algum rancor. Não é bonito de admitir isto mas é quem eu sou, para o bem e para o mal.

      Eliminar
  3. "Não me importa que me usem enquanto homem, que uma mulher queira usar o meu corpo para o seu próprio prazer"... Só me ocorre dizer: Ei lá... Só, mais nada.
    (É no que dá ter curiosidade em ir ver posts mais antigos... ;p)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Admito que possa soar um bocado mau, à conta de coisas destas já me chamaram leviano e coisas piores.
      Escrevi isto num dia em que não estava lá muito bem mas despindo os factos de qualquer artifício e não dourando a pílula é mesmo assim. Eu alinho em muita coisa se souber se todo os factos, não me tentem passar por trouxa que isso irrita-me de caraças.

      Eliminar
    2. Mas eu não disse em lado nenhum que achava mau... :p
      (Também não disse que achava bom, é um facto)

      Eliminar
    3. Os teus parêntesis dizem tudo. No worries ;)

      Eliminar
    4. Ahahahahah! Cada qual destaca a parte que quer destacar...

      Eliminar
    5. Obviamente que eu destacaria a parte que me é mais favorável mas eu percebi a tua mensagem subliminar :P

      Eliminar
    6. Então, mas acabaste por destacar a outra, certo PM? Por que será...?
      Eu não sou de mensagens subliminares...! ;p

      Eliminar
    7. Porque as pessoas normalmente interpretam-me mal e fazem mau juízo de valor. Não estou a dizer que o tenhas feito mas pareceu-me que achaste de certo modo negativo o que eu escrevi.
      Eu não tenho qualquer problema em fazer o que afirmei no texto mas a experiência diz-me que não é sensato admiti-lo em voz alta.

      Eliminar
    8. Ai as pessoas interpretam-te mal, PM? Ou será que te interpretam bem mas acham mal? É que há uma grande diferença...

      Eliminar
    9. Ambas correctas e muito diferentes como observaste.

      Se acham mal...temos pena. Eu respeito e aceito as opções de toda a gente mesmo que em alguns casos não as compreenda. Para mim peço o mesmo, ou seja, podem não concordar mas aceitem. Agora achar mal...

      Eliminar
    10. Agora falaste bem, sim senhor. Concordo em absoluto!
      Só há uma coisa que não concordo. É óbvio que há atitudes, comportamento, situações que é inevitável uma pessoa achar mal. Porque há pessoas que agem mal sem pensar nas outras. Tu próprio achas mal quando te usam e vão embora sem explicação. Ou entendi mal certas coisas?

      (já agora, e voltando ao início da conversa, não fiz mau juízo de valor, não senhor. Tu é que levaste logo a conversa para esse sentido. E eu gosto de me meter com as pessoas, o que se há-de fazer... ;p)

      Eliminar
    11. Certo, era esse o objectivo primordial da minha afirmação. Ser usado assim à traição não é nada bonito não senhor. Como eu suspeitava és uma moça perspicaz ;)

      (Não me leves a mal, se calhar foi precipitação minha, mil desculpas. Podes meter-te comigo à vontade, terei mais cuidado na próxima. sabes como é, muitos anos a ser atacado dá nisto.)

      Eliminar
    12. Suspeitaste e muito bem ;)

      (não precisas pedir desculpa. Precipitações podem acontecer a qualquer um. Quanto ao resto, felizmente, não sei como é, mas consigo entender perfeitamente :) )

      Eliminar